quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Feliz Ano.





Antes que o dia termine, antes que o ano termine, vim correndo até meu blog para arrematá-lo.
Nesse ano, os pontos dados não foram muitos. Alguns foram alinhavados mentalmente, mas não chegaram a se transformar em caseados, pontos cheios ou bordados vários. 
Mas é preciso um arremate.
Os dias se sucedem, os meses passam e o ano termina. Tudo começa e recomeça. Tudo igual, tudo diferente. Marcas vão ficando. Coisas novas vão surgindo.
O importante é que encerramos esse ciclo muito bem. Todos juntos. Em presença. Em pensamentos.
Todos bem. 
E no meu descanso após o almoço, que excepcionalmente teve sono de verdade, sonhei com minha mãe.
Sonho bom.
A bênção, mãe. A bênção, pai.
Um novo ano está chegando.
Feliz 2015!


terça-feira, 2 de dezembro de 2014

O que já foi

Pessoas requerendo cuidados, com ar de cansaço ou desânimo.
Pessoas andando com dificuldade e, muitas vezes, com ar angustiado.
Pessoas muito gordas, ou extremamente magras.
Pessoas com olhar distante ou cabisbaixas.
Pessoas que parecem estar desinteressadas de tudo.
Chamam muitas vezes minha atenção. quando caminho pelas ruas de uma cidade, ou passo rapidamente de carro.
Sempre podem ser vistas, e me levam, em todas essas ocasiões, ao mesmo tipo de pensamento.
Hoje, essa pessoa está assim, mal cuidada, mas um dia foi um nenê tratado com carinho e amor, e que despertava sorrisos ao seu redor.
Está claudicante mas, ali atrás, foi uma criança alegre e saltitante, que corria com amigos, pulava corda, pulava amarelinha.
Ficou muito gorda, ou muito magra, porém há não muito tempo era um(a) jovem elegante, que rodopiava nos salões de baile e, provavelmente, despertava suspiros.
Tem um ar de desinteresse, anda cabisbaixa, contudo já vibrou com conquistas, já foi curiosa.
Quanta mudança!
A rua nos provoca, e nos faz pensar.
E eu não consigo fugir desse tipo de pensamento e busco encontrar, naquela pessoa com quem estou cruzando, os traços felizes dos tempos idos.