terça-feira, 24 de março de 2015

Encontro de família




Dos 11 meses, aos 82 anos. 
Alguns com cabelos brancos, outros em plena juventude e um grupinho de pequenos correndo pra cá e pra lá.
Todos descendentes de Norma e Joaquim, meus pais, que se casaram em 16 de março de 1932, dando origem à nossa grande família.
Escolhemos esse dia importante, 16 de março, para o início dos encontros anuais da Família Sérvulo da Cunha. Quando dia útil, a reunião se dará no sábado posterior.
E assim foi, nesse ano.
Marcamos nosso primeiro encontro em Campos do Jordão, no dia 21 de março, sábado.
Mas o pessoal foi chegando desde o dia 20, e todos saímos no dia 22. 
Um Encontro centralizado no dia 21, mas que durou um fim de semana.
O lugar é lindo, todos estavam muito bem, e pudemos sentir aquele clima gostoso dos nossos encontros do passado.
Lembramos dos nossos filhos pequenos, correndo de lá pra cá. Hoje, os que correm são seus seus filhos, nossos netos.
Demos, às atuais crianças da família, a oportunidade de convivência com seus priminhos para a criação dos laços familiares.
Demos, também, a alguns, a oportunidade de conhecimento de membros novos da família.
Foram, sem dúvida, dias intensos em emoção e convivência.
E quando a família está reunida, e aberta para contatos afetivos, sente-se algo maior. Uma ligação de amor, que nos leva aos nossos pais, e que volta espalhando-se por todos.
Nessa hora, eventuais ressentimentos, ou distanciamentos, desaparecem.
Sim, somos todos irmãos.