sábado, 28 de fevereiro de 2015

Tempos difíceis


Parece que uma das regras para nos sentirmos bem, é a ausência de expectativa em relação aos outros. Nada de esperar determinadas respostas, nada de aguardar determinadas ações.
Outra, é não termos preocupações com aqueles que nos são próximos.
Devemos tentar nos desligar de eventuais dificuldades ou problemas que possam estar enfrentando.
E devemos fugir das saudades. Porque elas podem doer.
E, ainda, é preciso que não nos emocionemos a cada instante.
Serão essas as regras para que fiquemos bem?
Distantes, quase desligados.
Indiferentes?
Tiramos isso, tiramos aquilo.
Deixamos de pensar nos outros, evitamos esperar respostas, procuramos não sentir falta ou saudades.
O que nos sobrará?


6 comentários:

  1. Heloísa, se fizermos assim, para segundo alguns, preservar a nossa saúde, podes ter certeza que não viveremos.

    Ficaremos vegetando!

    A vida é assim, com tudo que nela cabe e há moimentos de angústias, preocupações, etc...

    Um exemplo: há muitos anos atrás, um dos meus filhos foi tenista e eu devia acompanhá-lo nos torneios Brasil afora.

    Na semana de um torneio importante que seria em Brasília, eu tive um problema horroroso na vista e de lá acabei no neurologista, afirmando que deveria IMEDIATAMENTE baixar hospital, fazer isso, aquilo, e viver como numa redima, pois tinha um aneurisma...

    O torneio? Proibido,lógico!

    Porém, eu sabia que não faria nada daquilo. Coloquei na cuca que nada era verdade, rezei, e me fui pra acompanhar o pequeno(na época!) Ele ficou campeão brasileiro ,emoções que estavam proibidas muitas e eu resisti!

    Assim, NÓS é que temos que ver o que podemos ou não! Não adianta outros nos pedirem, imporem isso ou aquilo. Comigo não funciona! Sou teimosa como mula e acredito que só peru morre na véspera,rs

    Temos que viver com eles da melhor forma possível, nem que seja blogando pra nos distrair! beijos, lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  2. É isso mesmo, Chica. O risco é ficarmos vegetando.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. É. Sofrer, definitivamente, saiu de moda...

    ResponderExcluir
  4. Oi Helô,
    Assino embaixo do comentário da Chica. Eu também sou "dura na queda", faço tudo para viver da melhor maneira possível. Só assim vale a pena estar nessa vida.
    Bj,
    Lylia

    ResponderExcluir
  5. Heloísa, gosto do seu poder de síntese. Diz tudo em poucas palavras. Eu faria um texto longo, cheio de explicações...e neão atingiria a ninguém. rs
    Sei do que fala, sinto o mesmo e o melhor é não criar expectativas e ir seguindo.
    Acho que temos que ter, também, um certo desprendimento para saber nos cercar das pessoas certas, tem como se saber, mas às vezes nos envolvemos e aí é que está o perigo.
    Quanto à saudade, essa não devemos deixar de ter, pois significa que o dono ou o objeto da saudade está sempre presente.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Si eso fuera así Nada, no nos quedaría nada, ¡qué pena!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.