segunda-feira, 29 de junho de 2009

Simpatias juninas



Hoje é dia de São Pedro, e com ele fecha-se o ciclo dos santos populares do mês de junho, que ensejam a realização de tantas festas e quermesses. As festas continuam, e até avançam pelo mês de julho.

Pensando, hoje, nas festas juninas, lembrei-me do tempo em que as garotas torciam pela chegada das vésperas de Santo Antonio e de São João para tirarem sua “sorte”, para tentarem adivinhar seu futuro.

Acho que isso é algo bem antigo, e nem sei se muitas pessoas têm lembrança desse costume ingênuo, e que tinha pitadas de romantismo. São as chamadas “simpatias”, que têm algum parentesco com as superstições, mas que eram realizadas como brincadeiras.

E entre elas, que na sua maioria eram realizadas do dia 12 para o dia 13 de junho, recordo das seguintes:

Será que sai casamento?

Colocava-se duas agulhas num prato fundo com água. Na manhã do dia 13 bastava olhar o prato. Se as agulhas estivessem juntas, o casamento estava assegurado.

Qual o nome do futuro marido?

Escrevia-se vários nomes de homem em papéizinhos enrolados. Colocava-se o papéis num prato com água. O que amanhecesse aberto continha o nome do futuro marido.

Quantos anos faltam para o casamento?

Tirava-se um fio de cabelo e pendurava-se nele uma aliança (emprestada de uma mulher casada). Segurava-se as duas pontas do fio sobre um copo contendo água. O número de batidas dadas pela aliança no copo seria o número de anos para esperar para casar.

Qual a letra inicial do nome do eleito para casar?

Segurava-se uma vela acesa sobre um prato fundo com água. Os pingos de parafina deveriam formar a letra que se estava buscando. E não é que a gente conseguia enxergar exatamente a letra com a qual estava sonhando?

Eram brincadeiras ingênuas, que se somavam aos vestidos caipiras, às quadrilhas e aos comes-e-bebes típicos para marcar com muita magia essa época tão gostosa.


15 comentários:

  1. Sabe que vc me fez lembrar de coisas que eu assisti? verdade! essa do cabelo e a liança no copo com água eu ja vi algumas moças fazendo quando eu ainda era pequenina...rs

    Adoro festa junina completa, com vestido, casamento e tal, pena q aqui em SP algumas coisas se perderam no caminho e as festas não são mais tão tradicionais.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Que engraçado, aqui na noite de Santo António também se fazem coisas parecidas, uma forma de pedir ajuda ao santo casamenteiro! Outra tradição muito doidinha daqui é colocar a figura de Santo António de pernas para o ar até encontrar marido rsrsrs
    Muito sofre o Santo António!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Minha linda, você me fez recordar minha infância com essas simpatias!! Essa para saber o nome do marido, você acredita que eu fiz, com uns 7 ou 8 anos de idade? Mas como eu era toda metida a sonhadora, botei o nome de diversos artistas de cinema e cantores... vc acredita que o nome que saiu aberto foi o do Michael Jackson? hahahaha..
    Super beijo,

    Mari

    ResponderExcluir
  4. Não me lembro de ter feito simpatias, mas já vi fazer. São bem típicas dessa época e foi oportuno você falar delas.
    Dá pra se divertir com as crendices.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Ai, Helô, que boas lembranças!
    Também fiz uma dessas quando criança, acho que foi a do prato com a agulha.
    Fico aqui pensando que minha sobrinha de 12 anos nem imagina o que são essas coisas hoje em dia, estudando em colégio da zona sul do Rio e que as festas acabam sendo tão sem graça que até ela, confidenciou-me esta semana que não gosta mais de festa junina.
    Pode!
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  6. Eu fazia todas essas simpatias junto com minhas irmas e minha prima, todas na faixa dos 16 aos 18 anos.
    Ainda tinha uma simpatia que era de enfiar uma faca no pé de bananeira...acho que era enfiada a noite e pela manha a gente ia lá pra ver as iniciais do futuro marido. E cada uma de nos tunha uma faca. Nunca entendí como a bananeira nao morria, pois a coitadinha levava muitas facadas. hehehehehehe . Ah tempo bom ...as meninas de hoje nao brincam mais ne mesmo? As brincadeiras sao outras !
    bjs,
    me

    ResponderExcluir
  7. O,Heloísa. Que boas lembranças! Eu fiz todas essas simpatias e nunca deram certo, mas a brincadeira em si é que valia a pena. O que contava era a ingenuidade e o romantismo de achar que se poderia ter respostas para nossos sonhos e desejos.Um tempo bom, que não deveria ter passado, uma tradição que não poderia morrer. Acho que até hoje se faz assim, nos interiores do Brasil, em barraquinhas de "arriá", acho que ainda deve ter. Bom demais!

    ResponderExcluir
  8. Helô, o da letra inicial era famosa na minha família e lá pelos 15 anos numa noite dessa de junho a minha vô fez coomigo. Acredita que ninguém entendeu a letra que saiu. Vai ver é esta explicação porque nunca casei só me juntei nesta vida, menina. hehehe
    bjos meus

    ResponderExcluir
  9. Helô, é tão bom lembrar dessas simpatias e histórias envolvendo as festas juninas, não? Sabe que no casamento de uma grande amiga a lembrancinha para as moças era uma oração a Santo Antonio e um broche dele...conheci meu marido nesse casamento e uso até hoje o broche na carteira!
    Um beijo grande!

    ResponderExcluir
  10. Heloisa, essa da aliança eu lembro de fazer na escola. Que divertido relembrar isso.

    ResponderExcluir
  11. Voce nao faz ideia de como sinto saudades das festas juninas.As criancas vestidas de caipira , as quermeses e o bolo de fubá com quentao. Lindo se post
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Adorei o post e me lembrei muito das festinhas juninas que iamos. Ficavamos anciosas esperando o tal correio elegante.
    É uma pena que o mês dos santos festeiros terminou - Adoro essa época do ano especialmente pelas comemorações.
    Adorei mesmo!
    bjks

    ResponderExcluir
  13. Dani,
    Pena, mesmo, que algumas coisas se perderam pelo caminho. Mas será que não poderíamos tentar resgatar algumas?

    Isabel,
    Essas mexidas com a imagem do Santo Antonio também existe por aqui. Mas não estavam nas minhas lembranças.

    Mari,
    Que garota precoce. Aoss 7/8 anos, já queria saber com quem iria casar? E só entravam famosos, na sua listinha?

    Gina,
    Essas simpatias, ou sortes, eram muito comuns, mesmo.

    Beth,
    Parece que essas brincadeiras terminaram, mesmo.

    Elena,
    Coitada da bananeira! Como não tínhamos bananeira, por aqui, essa simpatia não estava entre as que cultivávamos.

    Lúcia,
    Essa brincadeira, cheia de sonhos e romantismo, era realmente muito boa. Resgatar por inteiro é meio difícil, mas acho que alguma coisa poderia permanecer.

    Carolina,
    Faz de novo. De repente, agora, sai uma boa letra para você. he,he

    Verena,
    Então está confirmado. Santo Antonio é casamenteiro.

    Mar e ilha,
    Também achei bom relembrar. E escrevi para manter o registro.

    Sylvia,
    Muito bom, mesmo, esse tempo.

    Santinha,
    Como a gente gostava do correio elegante, não? Era a oportunidade de tentar aproximação com algu´m que só olhávamos de longe.

    Beijos para todas. E, vamos tentar resgatar um pouco mais das festas juninas?

    ResponderExcluir
  14. Helô, quem nao fez alguma dessas simpatias para conhecer ao menos a inicial do nome do futuro príncipe nao teve mocidade, ahahahahah.

    A Elena lembrou bem da bananeira; na minha época se dizia até que a bananeira gemia à meia-noite; eram tantos os "causos"; acho que assim deixava a vida mais empolgante.

    Um abraco

    ResponderExcluir
  15. E olhe que essas simpatias costumam dar certo.
    Uma amiga de minha mãe apareceu com um bolo no dia de santo Antonio, cheio de fitas coloridas que saiam do bolo, aquela que puchasse a fita e saisse com uma medalinha, seria a 1ª a casar, na época, eu não estava nem namorando, e saiu pra mim, tenho 2 irmãs mais velhas que eu, e quem acabou casando 1º, eu. Porisso eu acredito e como he!he!Bjss

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.