quinta-feira, 17 de março de 2011

Domingo em São Paulo – Moda é arte?




Sempre há programas em São Paulo. Programas variados, muitas vezes gratuitos.

Os museus são inúmeros, e pode-se ir a um deles sem saber qual a exposição temporária que está sendo exibida. Com certeza haverá obras interessantes.

Foi o que nos aconteceu num dos últimos domingos em São Paulo.



Resolvemos ir ao Museu da Casa Brasileira, muito bem localizado na Av. Faria Lima nº 2075. Uma casa imponente da década de 1940, com um enorme jardim nas sua parte de trás. Expõe peças do mobiliário dos séculos XVII ao XXI, e abre espaços para exposições temporárias de objetos e design produzidos no Brasil, e outros países.

Voltado para o jardim do prédio, um simpático restaurante, o Quinta do Museu, que permite uma visita prolongada ao local. Pode-se ir pela manhã, dar uma pausa para o almoço, e continuar-se a visita na parte da tarde.



Geralmente, aos domingos, o Museu costuma apresentar atrações musicais, num grande terraço com abertura para o jardim. Nesse dia assistimos um teatro musical.

E a exposição temporária, que visitamos, foi uma grande surpresa: uma mostra de moda, “Linha do Tempo”, festejando os 20 anos da carreira da estilista Glória Coelho.

Estava sem máquina fotográfica, mas pude registrar com meu celular muitas das 60 “obras” da renomada estilista, expostas na Mostra. Cada uma representando uma fase.

E, acho que, pela primeira vez, enxerguei a moda como arte. Arte da criadora dos “modelos”, arte dos confeccionistas dos “vestidos”.

Peças muito bonitas, cheias de detalhes, com desenhos originais, muita criatividade e inspiração.

Talvez, se fosse para escolher, eu não tivesse eleito essa exposição para meu domingo em São Paulo. Mas o acaso fez com que eu apreciasse com enorme prazer essa mostra tão diferente, que me fez perceber o lado artístico da moda. Bom programa.



13 comentários:

  1. Que bom queando programas inesperados se apresentam bons assim,não? Lindo e bons programas por aí!beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Heloísa, há quem "torça o nariz" quanto a dizer que moda é arte.
    Acho que é, mas sociologicamente não tenho embasamento para dizer.
    O estilista é um artista ao criar a roupa. Pensa e combina tecidos, cores, modelos, uma criação completa.
    Você e suas boas dicas, que vou anotando tudo, pra quando for a Sampa poder saber onde ir.
    Foi um bom programa. Pena não ter fotografado mais.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. E eu, aqui do lado, não vi, gosto muito dessa casa.
    Estive lá recentemente em um evento de lançamento de umas luminárias "assinadas" por designers paulistas, foi um evento muito bacana promovido pela Tok-Stok.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Heloísa,
    eu acho que a moda pode ser arte sim. Esse vestido pérola da foto é uma verdadeira obra de arte, lindo.
    Continue a mostrar essa cidade interessante e com tanto para descobrir que é São Paulo :)
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Nossa Helô que passeio divino!
    Fica aí uma lição : não saia jamais sem sua máquina porque voce não sabe o que vai ver por aí!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi, HelÔ!
    O bacana de Sampa é justamente isso, tanta opção e variedade.
    Acho moda uma arte hoje em dia, pois é tanta coisa para se pensar, estudar e pôr em prática antes de lançar uma coleção, verdadeiros artistas por trás de um modelito como este da foto, lindo de morrer.
    um abração carioca

    ResponderExcluir
  7. Adorei seu programa! Poxa, sabe que sou paulistana e nunca fui a esse Museu??

    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi, Helô,

    Ah, eu sou da turma que vê arte em certas vestimentas (e até em adereços), sim. E ainda me lembro da primeira vez que esta idéia me surgiu, que foi quando estivemos numa festa em que a dona da casa, que era da classe média, mas talvez por causa da simpatia e beleza, tinha amigas muito abonadas, estava tão bem vestida quanto as tais amigas, que usavam roupas de alta costura. Depois fiquei sabendo que fora ela quem orientara a costureira, sobre o desenho de sua roupa. Além disso,
    ela criou uma espécie de faixa, com uma flor, que usou como colar.
    Isso foi no início dos anos oitenta, época em que a moda era um mix dos estilos hippie/psicodélico e, sei lá, 'discoteque'. E lá estava aquela mulher, vergando uma roupa e adereço lindos, tanto na cor quanto no caimento, que emprestavam muita graça a ela. A roupa não era igual ao estabelecido pela moda de então, mas também não ia contra ela. Então me ocorreu que, se ela quisesse, poderia ser uma estilista das boas, rsrs.
    Bom programa, você consegue extrair coisas interessantes de tudo o que vê, rsrs.

    Um beijo e, desde já, bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  9. De onde a gente não espera sempre aparece uma coisa interessante, não é? Tenho minha máq.fotog. na bolsa rsrs
    Se repararmos bem tem arte em tudo ......
    Podemos fazer lindos passeios, sem compromisso e nos divertir bastante.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Moda é arte em definitivo e quando apreciamos melhor ainda. Belo programa,Helô.

    bjos meus

    ResponderExcluir
  11. Faz muitos anos fui em São Paulo, mas só no Centro, e mesmo não conheci nada. Agora vou anotar essas dicas, para futuramente conhecer lugares novos em SP.

    ResponderExcluir
  12. S.P. é o máximo qdo o intuito é passear, gosto muito também!
    Bjs e bom fim de semana,

    ResponderExcluir
  13. Heloisa
    Belo programa.
    Quando mocinha...e até quando estava grávida, eu desenhava meus vestidos baseados nos detalhes de um ou outro modelo das revistas, e minha tia costurava. É possivel que uma outra profissão poderia ter surgido dessa experiência, vai saber néééé´?????
    Considero arte com certeza.
    Bjs

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.