sábado, 25 de junho de 2011

Mundo Mágico








Já estava sentindo falta de uma exposição de arte, e voltei ao circuito visitando uma imperdível (pelo menos para quem estiver em São Paulo, ou próximo): “O mundo mágico de Escher”, no Centro Cultural Banco do Brasil.

O artista, o holandês Maurits Cornelis Escher, grande nome da gravura do século XX, faz coisas assombrosas com suas litogravuras e xilogravuras. Cria ilusões de ótica fantásticas, brinca com as mudanças de perspectivas. Seus mosaicos são maravilhosos, e ficamos como que hipnotizados diante dos seus traços. São figuras entrelaçadas, e ao mesmo tempo destacadas. Homens, peixes, aves, répteis, em planos geométricos. É o tridimensional em uma superfície bidimensional.

A exposição é instigante e desafiante. Somos levados a uma observação atenta, que nos leva à descoberta do oculto, mas que ao mesmo tempo se mostra tão evidente.

Achei um programa fantástico. O prédio do Centro Cultural Banco do Brasil, que fica no centro de São Paulo (rua Álvares Penteado, 112), por si já vale uma visita. A exposição, com suas 95 obras, espalha-se pelo subsolo e três andares do prédio.











No subsolo estão obras muito marcantes como “Metamorfose”, onde as figuras vão se transformando em outras sucessivamente, “Oito Cabeças”, “Subindo e Descendo” e “Dia e Noite”.

Em Dia e Noite vemos pássaros brancos e pássaros negros. Conforme nosso olhar, surgem os pássaros brancos voando da esquerda para a direita. Uma mudança de olhar, como que apaga os pássaros brancos, entrando os negros que voam da direita para a esquerda.

Enfim, um assombro de exposição, difícil de definir, mas fácil de admirar.

E se não bastasse tudo isso, ainda há dez instalações interativas curiosas e interessantes, como a Sala do Impossível, a Sala da Relatividade, a Sala do Periscópio com o Poço Infinito, e a exibição de um pequeno filme em 3D (que me deixou totalmente tonta).





Essa exposição ficará em São Paulo até 17 de julho e é grátis. O acesso é muito fácil. Fomos de carro até um estacionamento que tem convênio com o CCBB, e de lá fomos transportados em uma van (também gratuita) até a frente do prédio. Para quem vai de metrô, deve descer na estação da Sé ou na São Bento.




14 comentários:

  1. ESSA EXPOSIÇÃO ESTEVE AQUI E FOI MUITO VISITADA!
    ADOREI VER UMA EXPOSIÇÃO BEM INTERESSANTE !
    BEIJO

    ResponderExcluir
  2. Que maravilhoso programa,não?Coisas que fazem bem! beijos,lindo0 fds,chica

    ResponderExcluir
  3. Heloísa, obrigada pela dica e parabéns pelas fotos.Você realmente é nota 10 em tudo o que faz
    Cecília

    ResponderExcluir
  4. Estive por lá também. Bastante lotado. bem interessante.

    ResponderExcluir
  5. nossas fotos da exposição estão bem parecidas.

    ResponderExcluir
  6. Helô, querida,

    Fiquei eletrizada com este post! eu já conhecia teoricamente - através de publicações e da própria Internet - algumas coisas deste artista e adoraria ver as obras dele de perto. É esperar pra ver se o CCBB daqui também irá nos presentear com esta exposição.

    Um beijo e votos de qua sua semana seja muito feliz!

    ResponderExcluir
  7. Um excelente programa, Heloisa!
    Escher é mesmo fascinante.
    Gostei muito de suas fotos.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Que legal essa exposição, sabe que nunca fui em nenhuma, acho que vou seguir seu exemplo e ir pra ver como é.
    Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente quase nada dessas grandes exposições de fora chegam a MG. Incrível, não? Tratando-se da 3ª capital do Brasil em importância.
    Gostaria de vê-la, com certeza.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Deve ser bem interessante, não conhecia a obra desse artista, agora com as suas descrições já fiquei a conhecer um pouco; pena que para mim fica um pouco longe. :)
    Já há algum tempo que tb ando por fora do circuito de exposições por aqui, apesar de receber a newsletter da Fundação Gulbenkian. A arte proporciona sempre um programa enriquecedor.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá Heloísa,
    Fazer esses passeios culturais são excelentes. Eu sou fascinada por Maurits Cornelis Escher. A perspectiva usada é algo fantástico, né?
    Tudo de bom.
    Bjs mil

    ResponderExcluir
  12. São Paulo é o máximo para se fazer passeios culturais.
    Esta exposição do Escher esteve primeiramente aqui no Rio e meu filho foi logo no primeiro dia, ele adora o cara e depois foi mais duas vezes.
    Eu não fui, infelizmente.
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  13. Que exposição interessante, adoooooro Escher! Tive mais contato com as inteligentíssimas e criativas obras dele na faculdade e virei fã! ótima dica, Helô! Bjs

    ResponderExcluir
  14. Helô que delícia de passeio e o melhor de tudo gratuito.
    Na cidade onde eu morava, raramente tinha exposições, uma pena para os moradores que precisam se deslocar sempre pra Campinas.
    bjuss

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.