terça-feira, 2 de agosto de 2011

"Ossos do ofício"




Acho que uma das atividades mais desgastantes da velhice 3ª idade é a agenda “medico-laboratorial”.

Alguns dos exames de rotina costumam ser feitos desde o início da idade adulta, embora com espaçamento maior. Mas a esses vêm se juntar outros, quer por problemas surgidos com o passar do tempo, quer por antecedentes familiares, ou por riscos provenientes da idade.

Normalmente são exames que devem ser realizados uma vez por ano, mas em certo casos o prazo é reduzido.

E isso, levando-se em conta que o/a idoso/a a pessoa, no caso, é saudável, e que está realizando somente os exames de rotina.

E daí vem o desgaste.

Marcar médicos das várias especialidades, porque nos tempos atuais cada um cuida da sua parte. Marcar os exames de imagem e realizá-los, se possível, no mesmo dia dos exames laboratoriais.

Caso contrário, voltar ao laboratório.

Pegar os resultados e marcar retorno nos médicos.

Levar os exames e ouvir que está tudo bem, ou que alguma coisa precisa ser feita.

Tudo isso toma muito tempo, e uma coisa é certa: é difícil escapar de alguma prescrição de remédio, ou de uma recomendação de dieta alimentar ou de realização de exercicios.

E, de repente, o tempo já passou, e está novamente na hora dos agendamentos medico-laboratoriais.

Outra vez?

Sinais dos tempos.

E se não seguirmos esse roteiro de médicos e exames, sempre ficaremos com uma pontinha de preocupação. A vida moderna nos leva a isso.

Volta e meia lembro que a geração que me antecedeu dificilmente passava por essa bateria anual de exames de rotina (?), não tinha preocupação com a realização de exercícios e, de um modo geral, gostava de uma pele de frango bem tostadinha (que hoje eliminamos), de um toucinho fritinho, e de açúcar, muito açúcar.

É. A chave de tudo é o equilíbrio. É preciso que se encontre o ponto do equilíbrio, para que a preocupação com o viver bem no futuro não atrapalhe o viver bem do presente.



12 comentários:

  1. Ai, ai Helô, não sei o que será de mim futuramente, eu simplesmente amooooooo açúcar e coisas gordurosas, vejo minha mãe com 50 anos e um corpinho de 20 tendo que cuidar do Colesterol e penso que deve ser a coisa mais chata do mundo.
    Mas é preciso se cuidar né, a vida é boa demais pra encurtarmos, então temos que sacrificar algumas coisinhas, rs.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Felicidade só ter rotina de exames e médicos na terceira idade! Hoje falei com a Cris, que comentava justamente sentir o peso dos 40... Achando que cansaço e mal estar já possam estar relacionados à nossa idade... Ela acha que nem chegaremos na próxima idade com a energia que vc e o pai dela tem. é verdade!
    bjs,
    Pri

    ResponderExcluir
  3. Realmente isso tudo é uma chatice rsrs
    Mas tem uma grande vantagem, podemos viver MAIS e MELHOR do que nossos antepassados, não é?
    Para mim não existe "terceira idade" acho muito feio este termo.
    Acho que depois dos 40 vale à pena o sacrifício ..........
    Saúde. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. É uma droga isso e o tempo passa rápido demais.Apenas acabamos uma bateria de exames, chega a hora de renovar...beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Bom, cara amiga, eu também já entrei nessa de exames anuais e ainda não estou bem na terceira idade, chamo a isto de prevenção o que funciona da melhor forma na saúde hoje em dia.
    Minha mãe que está aqui comigo por esta semana, vive fazendo exames, inclusive amanhã pela manhã estou levando-a para fazer um.
    É assim mesmo, chato, mas necessário.
    um grande abraço carioca

    ResponderExcluir
  6. Só o fato de prestarmos atenção no nosso corpo de forma positiva, preventiva, já significa uma atitude saudável.
    Qualidade de vida, acima de tudo!
    Beijooo!

    ResponderExcluir
  7. Confesso: odeio fazer consultas e exames. Tanto que há tempos não vou ao médico e isso até gerou discussão recentemente com o meu marido, que quis me marcar com o 'oftalmo' e eu não aceitei, rsrs. Quanto à saude da geração anterior, o assunto é complexo, pois de um lado há as predisposições às doenças, do outro, os cuidados preventivos. Mas sempre houve pessoas que parecem passar incólume por certas experiências. Minha mãe e meu pai viveram o mesmo estilo de vida, corrida e estressada. Também nunca se privaram de nenhum dos prazeres da mesa, muito pelo contrário, rsrs. Ele faleceu aos 56 anos, em 1985. Ela continua viva (graças a Deus!), firme e cheia de energia. O único problema relacionado à idade que ela teve foi catarata, porém, depois que operou enxerga maravilhosamente (não usa sequer óculos para leitura), coisa que eu sempre tive de usar,rsrs.

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  8. Oi Heloisa,
    Adorei conhecer seu blog e imagino a pessoa cheia de vida que é.
    Parabéns pela iniciativa.
    Gostei muito do seu blog e estou lhe seguindo.
    Bj,
    Lylia

    ResponderExcluir
  9. Essa história de médico é sempre chata, mas necessária...Fiquei ciom muita vontade de assistir esse filme....deve ser lindo! Amei o Meia noite em Paris, vc assistiu?
    Bjs,

    ResponderExcluir
  10. É isso aí, Heloísa. Prevenir, cuidar, tentar "pegar" os imprevistos entre uma bateria e outra de exames.
    Passei pela minha rotina já, este ano, depois de quase 3 sem ir a médicos! Felizmente está tudo bem, mas vacilei em demorar muito, visto que tenho hipotireoidismo e o desequilíbrio hormonal leva a muitos contratempos.
    Também não gosto do termo 3ª idade, nem "melhor idade"! rsrs
    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Heloísa.
    bom dia!

    prevenção... infelizmente precisamos fazer exames, ver se está tudo ok. e isso cansa né. a gente não gosta, acho que ninguém gosta de ir ao médico rs.

    e sempre vem bronca do médico...
    pior q eu tenho a cabeça da geração antiga, rs, adoro doce, carne gorda, rs, não gosto de exercício.

    e o médico? me pega no pé rs

    bom dia

    ResponderExcluir
  12. Heloísa, não fique triste, "passar a vida nos médicos" não é exclusivo da 3ª idade. Numa altura da minha vida, visitei tantos médicos que fartei-me deles. :) Fiz exames ao estômago, intestinos, vesícula, tiróide, etc., etc.
    Agora estou no oposto, quase há dois anos que nem sequer faço análises ao sangue. Mas preciso fazer, preciso vigiar o colesterol, que tem tendência para ser um pouco alto.
    Agora entrei numa fase de muito cuidado com a alimentação, depois de tanto ter abusado dos doces. :)
    Boa sorte com os seus exames, que os resultados sejam todos favoráveis.
    Bjs

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.