quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Idas e vindas






Por muitos anos, sempre que eu saía em viagem, passava por sua casa para despedir-me.
Durante a viagem, ela estava na minha lembrança.
Enviava-lhe cartões postais e, ainda que do exterior, telefonava-lhe.
Na volta, antes de chegar em casa, chamava-a por telefone e, assim que possível, ia vê-la na sua casa.
Mesmo nas viagens curtas e rotineiras, como passar um fim de semana em São Paulo, o ritual era esse.
Com sua partida, minhas idas e voltas para casa mudaram. Sinto-me como diante de um vácuo. Falta algo a ser feito.
Sua presença se confundia com o chão firme, conectando-me com minha cidade, com minha família, e estranho muito quando vou para longe e não tenho essa figura forte para me despedir. Nela, eu me despedia dos demais.
E quando volto para Santos, também acho muito estranho não poder dizer “cheguei”, para aquela que esperava minha volta.
Amanhã estarei saindo para uma viagem sonhada, sem seu beijo de despedida.
Mas, com certeza, estarei sendo acompanhada pelas suas bênçãos.
Bênçãos da minha mãe.


(Foto tirada num dia das mães, na sala da sua casa.)




16 comentários:

  1. Puxa, me fizestew chorar...Lindo isso! E é assim mesmo..Há dois anos, apesar de ter minha mãe "viva", ela não sabe de minhas viagens, nem sente que não estou. Vou, volto e nada de falar em viagem em nada. Tri dolorido, mas...

    Peço a Deus não ficar assim. Espero estar aqui enquanto puder participar e acompanhar os que amo em pensamento ou presença...

    BOA VIAGEM pra ti e aproveitem bem!Muito bem!!! beijos e aparece se der pra nos contar!!! chica

    ResponderExcluir
  2. Helô querida, acredite, eu também, como a Chica, estou com lágrimas nos olhos desde que cheguei no meio do seu lindo texto. Posso imaginar sua dor com relação a isto, mas desejo, de coração, que façam uma viagem maravilhosa, sob as bênçãos dela lá do céu.
    Vá e volte com Deus!
    Beijo carioca


    ResponderExcluir
  3. Minha amiga, me senti exatamente assim quando perdi a minha avó...era dela que eu me despedia sempre, e era a ela que eu fazia questão de avisar assim que chegava...perdas que nos dão sim um aperto muito grande no coração...

    Com certeza de onde ela estiver vai estar te abençoando,nas suas "idas e vindas" ela sempre estará presente, com certeza!

    Vá com Deus, e desfrute muito!

    ResponderExcluir
  4. Não deu para não sentir as lágrimas chegando, a garganta apertando...
    Boa viagem, amiga.
    Melhor que ficar esperando sua volta, ela estará com você, por onde andar. Você é uma filha especial.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Que lindo! Assim como a Renata disse aí em cima, sinto essa falta da minha vovó, que aos 90 anos faleceu o ano passado... Era sempre uma alegria compartilhar com ela as conquistas e novidades da minha filha, a bisneta mais velha dela (que tem 8 anos, e se chama Renata). Agora, sempre que minha pequena recebe o boletim, ganha uma medalha,ou cai um dentinho, vou correndo contar para todos, mas falta ela, minha vovó querida...
    Boa viagem pra vc, achei o máximo seu blog!
    Baci
    Thati

    ResponderExcluir
  6. Boa viagem, ela estará do seu lado sempre...

    Adorei o seu post no MMqD, vou conhecer mais vc por aqui!

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  7. Chorei também, querida Helo, emocionante demais,
    Boa viagem e que Deus os acompanhe!
    Com carinho,

    ResponderExcluir
  8. Que bom seria se o tempo voltasse, mesmo que fosse apenas pra rever uma pessoa muito querida. Abraços.

    ResponderExcluir
  9. ¡Qué entrada más bonita y real!, pero ella no se ha ido, su recuerdo irá siempre contigo. Un beso

    ResponderExcluir
  10. Não há nada como a presença da nossa mãe! Beijos

    ResponderExcluir
  11. Haja coração!
    Tenho certeza que ela está presente e sempre acompanhando suas idas e vindas.
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  12. Que lindo sua histório de vinte cinco anos de casados de vcs e o mais engraçados vcs se encontraram em são luis,maranhão a minha cidade natal e moro até hoje. Parabéns.

    selene

    selene.ma@uol.com.br

    ResponderExcluir
  13. Que emocionante! Quanta ternura pode haver em uma relação de amor. Boa viagem e que Deus e sua mãe os abençoe, Paula

    ResponderExcluir
  14. Nossa, e eu ando numa sensibilidade daquelas, para essas coisas! É que juntou o passamento de minha irmã, no início de julho, com uma infecção que tive, mais ou menos no meio deste mês, e tudo convergiu para as reflexões sobre essas "idas" e "vindas".
    Isso é que acho mais estranho na vida, as pessoas que amamos e com quem criamos laços tão profundos de repente nos são tiradas e a gente tem de prosseguir sem elas.
    Não é fácil!

    Ah, gostei do post sobre as festinhas da Isadora.


    Um beijo (espero que a viagem esteja sendo maravilhosa!)

    ResponderExcluir
  15. Olá Heloísa,
    Sei muito bem o que é isso. A minha mãe ainda não partiu, mas há alguns anos está em cima de uma cama e mora com meu irmão no RJ.
    Sinto saudades... Quando chegávamos na casa dela, estava tudo arrumadinho, com comidinhas deliciosas e o mais importante... Aquela alegria e carinho em me ver.
    Ah!!! Hoje as coisas estão bem diferentes de antes. Mesmo indo visita-la hoje em dia, não é a mesma coisa. Apesar de adorar a presença dela entre nós. Mesmo estando acamada.
    Tudo de bom.
    Beijos mil

    ResponderExcluir
  16. Puxa vida Helô, fiquei um tempão sem vir aqui por falta de tempo e quando venho já leio esse post cheio de saudade e emoção, chorei é claro.
    Imagino o vazio que sente, ainda sinto isso em relação ao meu pai.
    Fica bem tá!
    Bjs!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.