sábado, 12 de outubro de 2013

Música e sonho



Foto da web.


Comecei a tocar piano aos 5 anos, graças à facilidade de ter uma escola de música a dois passos da minha casa. Era o Instituto Musical Santa Cecília, que foi uma escola de muito destaque em Santos, cuja proprietária, e diretora, era uma das minhas tias, irmã do meu pai, Maria Amélia, de apelido Mana.
Como sempre estava circulando pelo Instituto, acharam que eu poderia iniciar meus estudos de piano, com aquela pouca idade.
Minha primeira professora chamava-se Angélica, também da família, e que anos depois comentou que eu era muito esperta no teclado. Segundo ela, eu era “muito prosa”, pois gostava de tocar com os olhos fechados, indo “com os dedinhos” nas teclas certas.
Sempre adorei tocar piano. Fiz os 9 anos do curso regular e estudei mais alguns anos. Ao lado do repertório erudito, tocava, e ainda toco, música popular, “tirada de ouvido”. 
Nos tempos da minha infância era muito comum as meninas estudarem piano. As casas eram grandes, e comportavam bem um piano na sala.
Hoje tudo mudou. Poucos são os professores de piano, difícil é ter o instrumento em casa, assim como é difícil os pais terem mais um encargo, o de manter e o de levar os filhos para mais um curso.
A educação musical tem que ser dada de outra forma, aproveitando-se e criando-se oportunidades para a criança ter contato com a música.
E por isso, eu sonhava com o dia de levar minha netinha Isadora a um concerto.
Com alguma frequencia, vou à Sala São Paulo, para as apresentações da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e estava esperando a Isadora completar 7 anos, idade mínima para esse programa, para levá-la a um concerto de piano com orquestra.
E esse dia chegou. Ela completou 7 anos em julho último e, na semana passada fez seu “début” em concerto de piano e orquestra, à noite. E num concerto maravilhoso da OSESP, com o celebrado pianista Nelson Freire, interpretando o Concerto nº 4 de Beethoven.



Única criança na plateia, ela ouviu, e assistiu com admiração o espetáculo especial, participando atentamente de momento tão mágico.

Esperando o início e experimentando o binóculo.
Aplaudiu efusivamente quando a regente Marin Alsop desceu sua batuta.


Muitos aplausos.

Assistimos só a primeira parte do programa da noite, porque o término seria muito tarde. E, também, para introduzir a menininha aos poucos nesse novo mundo. Uma carga muito grande poderia ficar cansativa.
E não é que ao ser avisada de que estávamos indo embora ela disse: mas eu queria ficar mais.
O começo foi ótimo. Ela tranquila, atenta e apreciando muito.
E a vovó, muito feliz.


Essa foi a primeira, mas espero ter inúmeras outras oportunidades para acompanhar minha netinha em programas “mágicos” como esse.


5 comentários:

  1. Que lindo debut... Parabéns pra ti que foste uma pianista aplicada e ainda tocas com o coração e que conseguiste ver teu sonho realizado levando Isadora que, parece, gostou e apreciou muito! Valeu,né? Esses momentos fazem bem! beijos, e beijinhos e lindo dia da criança! chica

    As fotos lindas, só a primeira não vi! Tu tens INSTAGRAM? Eu estou lá!rs

    ResponderExcluir
  2. Ah isto é um programa bacana para se apresentar a uma criança, principalmente se ela tem na família alguém que toca o instrumento, pois ela visualizará e valorizará melhor o instrumento, afinal, ela só tem 7 aninhos! Quem sabe agora ela também não queira aprender piano ou qualquer outro instrumento!?
    Acho lindo o piano, mas é tão difícil, pelo menos pra mim que tentei depois de velha e acabei desistindo. kkk
    Muito lindinha e extrovertida a Isadora!
    um beijo carioca e ótima semaninha.


    ResponderExcluir
  3. Olá, querida, Helô,

    Este programa é maravilhoso, tenho certeza de que a Isadora não esquecerá jamais o debut promovido pela vovó, que a introduziu no mundo mágico da música, rsrs.
    Uma das minhas frustrações nessa vida é a de não ter aprendido a tocar piano, instrumento que adoro. Tentei compensar isso fazendo com que minhas duas filhas aprendessem, mas elas não vêem o piano como eu vejo, o máximo que consegui foi que uma delas fizesse aulas de canto, rsrs.

    Um beijo e ótima semana, rsrs.
    .

    ResponderExcluir
  4. Olá Heloisa!
    Ah, coisa boa isso! Fiz com meus filhos, desde pequenos. Sempre os aproximei da música, coisa que adoro. Minha netinha foi minha companheira nesses passeios musicais, mas agora ela está adolescendo e... parou um pouco. E assim vamos indo. Uma de minhas frustrações é não ter aprendido a tocar violino, instrumento que amo de paixão. Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia a história de tocar de olhos fechados! Sempre um arraso, muito bom saber mais. E programas musicais com a Isadora podem virar rotina! Ela certamente irá gostar.
    beijos

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.