sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Compreensão

Outro dia, conversando com uma jovem amiga, ela me disse que havia ficado surpresa com uma circular que havia recebido da escola do seu filhinho de 3 anos. A circular informava que, como no sábado haveria na escola uma programação cultural, as professoras estariam ocupadas na véspera e, por esse motivo, não haveria aulas na 6ª feira. O comunicado terminava pedindo a compreensão das mães.
Se ela ficou surpresa, eu fiquei estupefata. Como é possível uma escola suspender as atividades por um dia, para organizar um evento. Estamos falando de atividades de escola maternal, onde as crianças se encontram principalmente porque suas mães são profissionais, e não têm com quem deixar seus filhos.
Algumas mães, numa situação como essa, conseguem resolver a questão apelando para parentes disponíveis. Outras, que são profissionais liberais, talvez consigam reorganizar sua agenda, para poderem ficar em casa. Mas, e aquelas que têm vínculo trabalhista e não têm ninguém que as socorra? Devem faltar ao serviço? Devem descumprir seus compromissos?
Será que não está na hora das escolas infantis, e até de 1º grau, perceberem a realidade que vivemos ? Já chegam os feriados emendados, que também causam inúmeros transtornos para as mães que trabalham. Agora, parece que as escolas também estão se achando no direito de suspender aulas, ou atividades, por outros motivos que entendem importantes.
Pedem compreensão.
Mas a compreensão não deveria vir, exatamente, dos educadores ?
As mães, que normalmente enfrentam uma rotina estressante, mesmo deixando suas crianças na escola, não têm como compreender uma situação dessa.
Penso que está na hora das jovens mães levarem esse tipo de preocupação para a escola que escolheram para seus filhos. Não são elas que têm que resolver o problema das crianças num dia comum do calendário. No caso, não há que se falar em calendário escolar, que costuma colocar feriados onde não existem (como os feriados emendados), mas, sim, de calendário oficial. Dia comum, é dia de trabalho. E em dia de trabalho, as mães precisam que seus filhos fiquem na escola. As escolas têm de encontrar uma solução.

4 comentários:

  1. Ola Vovo Helo!
    TO passando para atualizar... to com saudades dos seus posts.
    To adorando todos...
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. falando desse... inacreditavel!
    na escola dos meus filhos, qdo as professoras nao estao, tem as auxiliares que ficam (em caso de reuniao, "pós" feriado, tipo emendados, conselho de classe), mas isso, so com os alunos integrais, ou seja, que ficam mais de 6 horas na escola.

    ResponderExcluir
  3. Vovó Helô, sempre debatendo temas tão interessantes. Concordo plenamente, esses dias mesmo tive que faltar o trabalho pois não consegui ninguém pra ficar com a Nathalia, e a creche dela não teve aula porque era "Dia dos funcionários de creche", vc acredita nisso??? Fiquei abismada. Tem vezes que não tem aula porque elas tem cursos, então porque não fazem revezamento nesses cursos??? Sem contar as férias de final de ano. Porque as férias delas não são como de qualquer empresa, que se revezam, não são todas as mães que conseguem pegar férias no final do ano ou em Julho. Isso deveria mudar, porque as creches são para nos ajudar e não para nos fazer esquentar a cabeça né! Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Um absurdo a escolinha desta criança!
    Uma das coisas que mais pesou na decisão da escola em que meu filho estuda foi ter a opção de escola-hotel. Para as crianças matriculadas nesta opção, a escola não emenda os feriados e só fecha na semana do Natal e do Ano Novo, já estão incluidas portanto as colônias de férias. E nesta escola tb tem a opção de horário integral (que ficam a maioria das crianças) e de atividades como natação, balé, judô... No próximo ano quero colocar o Vítor na natação, porque eles vão com uma ajudante da escola e tem van para levar!
    Eu tenho a sorte de poder contar com minha mãe e irmãs para as eventualidades e como trabalho em uma cidade próxima da que moro, algumas vezes tem feriados em BH em que trabalho. E tem o dia do professor, as férias... Fico pensando como as mãe que não podem contar com a famíla fazem!
    Meu marido tem uma prima que mora longe da famíla e nestas situações a mãe dela tem que pegar um ônibus e viajar a noite toda para ir ajudá-la, pois não tem com quem contar.

    Bjs,
    Paula

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.