segunda-feira, 29 de junho de 2009

Simpatias juninas



Hoje é dia de São Pedro, e com ele fecha-se o ciclo dos santos populares do mês de junho, que ensejam a realização de tantas festas e quermesses. As festas continuam, e até avançam pelo mês de julho.

Pensando, hoje, nas festas juninas, lembrei-me do tempo em que as garotas torciam pela chegada das vésperas de Santo Antonio e de São João para tirarem sua “sorte”, para tentarem adivinhar seu futuro.

Acho que isso é algo bem antigo, e nem sei se muitas pessoas têm lembrança desse costume ingênuo, e que tinha pitadas de romantismo. São as chamadas “simpatias”, que têm algum parentesco com as superstições, mas que eram realizadas como brincadeiras.

E entre elas, que na sua maioria eram realizadas do dia 12 para o dia 13 de junho, recordo das seguintes:

Será que sai casamento?

Colocava-se duas agulhas num prato fundo com água. Na manhã do dia 13 bastava olhar o prato. Se as agulhas estivessem juntas, o casamento estava assegurado.

Qual o nome do futuro marido?

Escrevia-se vários nomes de homem em papéizinhos enrolados. Colocava-se o papéis num prato com água. O que amanhecesse aberto continha o nome do futuro marido.

Quantos anos faltam para o casamento?

Tirava-se um fio de cabelo e pendurava-se nele uma aliança (emprestada de uma mulher casada). Segurava-se as duas pontas do fio sobre um copo contendo água. O número de batidas dadas pela aliança no copo seria o número de anos para esperar para casar.

Qual a letra inicial do nome do eleito para casar?

Segurava-se uma vela acesa sobre um prato fundo com água. Os pingos de parafina deveriam formar a letra que se estava buscando. E não é que a gente conseguia enxergar exatamente a letra com a qual estava sonhando?

Eram brincadeiras ingênuas, que se somavam aos vestidos caipiras, às quadrilhas e aos comes-e-bebes típicos para marcar com muita magia essa época tão gostosa.


sexta-feira, 26 de junho de 2009

Jantar a dois



Para um jantar do dia-a-dia, quase sempre tenho uma sopinha, ou uma massa. Às vezes, um risoto. E, de preferência, tudo com acompanhamento de uma taça de vinho.

Para terminar, não pode faltar uma sobremesa. Adoro doce, mas procuro fazer algo que fique dentro das "calorias" diárias.

Hoje, no nosso jantarzinho a dois, tivemos um creme de alho poró, um vinho tinto saboroso e, de sobremesa, essa delícia de frutas ao vinho. Posso afirmar que tudo estava uma delícia.



Frutas ao Vinho


Fazer uma pequena salada com 4 frutas diversas. Usei maçã, pera, morango e kiwi. Calcular, por pessoa, a quantidade aproximada de uma xícara .

Colocar uma colher e meia de vinho do Porto, por xícara.

Levar ao forno em refratário coberto por papel de alumínio, por aproximadamente 15 minutos.

Arrumar em taças, colocando por cima uma bola de sorvete de creme. Salpicar com canela em pó, e enfeitar com uma folha de hortelã.

(Também fica muito gostosa substituindo-se a maçã, ou a pera, por manga.)


terça-feira, 23 de junho de 2009

Festas juninas




Sempre gostei de festas juninas. Na minha infância, como diz a música, o céu ficava "todo iluminado" pelos balões. As crianças faziam e soltavam balões, e ficavam observando para correr atrás de algum que caísse.

O tempo dos balões terminou, assim como o das bombinhas, buscapés, vulcões e foguetes. O perigo supera em muito qualquer alegria trazida por eles e, agora, balão só de mentirinha, para enfeitar as festas juninas. Fogos, só de longe.

Mas as tradições das festas juninas continuam preservadas. É a culinária riquíssima - canjica, quentão, bolo de fubá, doce de abóbora, pinhão, pé-de-moleque, paçoca e muito, muito mais. São as músicas típicas, as bandeirinhas, as quadrilhas (influência francesa ?), os vestidos caipiras, o casamento forçado e, nas festas maiores, o correio-elegante e a cadeia.

Basta começar o mês de junho, para terem início as quermesses e as festas caipiras. É uma época deliciosa.

Os santos festejados são Santo Antonio (13 de junho), São João (24 de junho) e São Pedro (29 de junho), e essa herança é portuguesa, com certeza.

Só que enquanto em Portugal cada cidade festeja um dos santos, com o auge da festa no dia próprio, no Brasil as festas duram todo o mês de junho (e até avançam para julho), sem qualquer distinção. Em todas as cidades existem festejos dos três santos. O mês é de festas.

Há algum tempo estive em Braga, nos dias 12 e 13 de junho. A cidade estava linda, toda ornamentada para festejar São João. Queríamos ir a uma festa junina e nos disseram que não havia nenhuma em Braga, e que Santo Antonio era festejado em Lisboa e no Porto. Depois, soubemos que havia um lugar próximo, Vila Verde ( a 10 km. de Braga) que também festejava Santo Antonio, e assim pudemos conhecer o festejo em Portugal. Muito chouriço, sardinhas assadas, filé de peito de porco, e vinho bebido em “malgas”. Ranchos folclóricos, grupos de músicos. Uma festança.

Uma coisa é certa: cá, como lá, como é bom participar de uma festa junina.

 

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Descobertas no sábado

Sábado foi um dia de descobertas. Depois de muitas visitas a blogs e inúmeros comentários, um dia essas descobertas acabariam acontecendo. E foi o que ocorreu, a partir de um convite para um chá na casa da Mari, do blog Entre Agulhas e Panelas.

Atendendo ao convite, descobri uma turma de blogueiras bem afinadas que, embora com diferentes histórias de vida, têm um ponto forte em comum: o amor à cozinha. E desse amor, todas tiram muito prazer, como pude perceber no nosso encontro tão simpático em São Paulo.

Entre chás, chocolate, café cremoso, pães e patês, bolos, cookies, muffins, pavê, e caramelos, passamos horas alegres, e confirmamos como é bom o contato pessoal, e como é mágica a tecnologia que nos permite essa aproximação. 

Mari, mais uma vez, muito obrigada por sua gentileza, e por seus delicados mimos. Carmencita,  Dani, Lourdes, Nana e Verena, foi muito bom conhecê-las.



A foto em que aparece o grupo é da Mari, e foi tirada por seu marido, Marcelo.
Os blogs da turminha são: Entre Agulhas e Panelas (Mari), Sabor e Paladar (Dani), Da Caipirinha ao Cafezinho (Carmencita), Cozinha da Lu (Lourdes), Manga com Pimenta (Nana) e Mangia che te fa bene (Verena).

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Ponto por ponto

Friozinho gostoso, que pede um casaquinho. Terminei rapidinho o que estava fazendo, e levei para ver como ficava na netinha, pois fiz sem medidas. Ela experimentou, e gostou.


Logo no outro dia, já foi passear com a mamãe, vestindo o casaquinho.  Claro que fiquei contente, ao ver que valeu a pena tricotar ponto por ponto para, no final, ver esse resultado.



segunda-feira, 15 de junho de 2009

Domingo em São Paulo - Liberdade


Turismo em São Paulo é muito bom, principalmente nos fins de semana e feriados quando o trânsito melhora bastante, e a gente quase se sente dona da rua.
São Paulo é um mundo, e acho que tem programas que agradam a todos : museus, teatros, concertos, cinemas, shows, exposições, feiras de antiguidades, feiras de arte, mega-livrarias, shoppings, parques, cafeterias, restaurantes de todos os tipos, e muito mais. Sem falar, também, nas ruas de comércio especializado, que acabam se transformando em atrações.
Adoro fazer programas em São Paulo, sem contar que lá também encontro com minha filha e neta, o que acaba deixando a programação absolutamente completa. Aqui, numa cafeteria de shopping, descobrimos com surpresa, que estávamos, as três, com a cor cinza.

Entre as feirinhas, há uma deliciosa: a do bairro da Liberdade, e lá estivemos num desses últimos domingos.

 

O bairro da Liberdade, inicialmente, era um bairro marcado pela presença única de japoneses. Com o tempo, passou também a abrigar chineses e coreanos. Seus postes com lanternas típicas, as lojas, os restaurantes, seus letreiros, tudo nos remete à cultura oriental.  As barraquinhas têm artesanatos interessantes, as lojas têm diversos objetos, "quinquilharias" e louças para casa, assim como ingredientes, frutas e verduras típicas. Nas ruas há estátuas vivas, que sempre encantam, muita alegria, enfim, é um passeio muito bom, para as manhãs de domingo. Terminamos o nosso, com um almoço delicioso num restaurante japonês. 
Agora, vou planejar uma volta ao bairro para o domingo em que acontece o colorido e alegre Festival das Estrelas (Tanabata Matsuri): para poder colocar um pedido num "tankazu", pendurá-lo em um dos bambus que estará enfeitando as ruas, e aguardar que meu sonho se realize.
  

Foto do portal, tirei daqui


quarta-feira, 10 de junho de 2009

Amiga "real"


Pela primeira vez, conheci pessoalmente uma amiga até então virtual. Como ela mesma diz, “desvirtualizamo-nos”.


Foi a Beth, do Mãe Gaia, carioca ultra-simpática que, com certeza, deixa felizes todos que estão ao seu lado. Foi assim que me senti ontem ao passar algumas horas com ela, na minha querida cidade.


Passeamos pela orla de Santos, que tem os maiores jardins de praia do mundo (está no Guiness Book), vimos alguns dos seus canais e, de passagem, outros pontos interessantes. Tomamos um café numa cafeteria charmosinha e terminamos o passeio na minha casa, onde estava minha netinha, que por sorte também estava em Santos, passando uns dias comigo.



Em casa tivemos uma sessão de confecção de bolo de caneca, e uma de contação de histórias. A Isadora chegou com um livro grande de histórias e a Beth, que já foi contadora voluntária de histórias infantis, usou da sua simpatia e carinho para interpretar a história dos Três Porquinhos.


Foi incrível nosso entrosamento. Embora nosso pouco tempo de conhecimento virtual, sentimo-nos realmente amigas.

A Internet é fantástica : aproxima pessoas com afinidades, e permite esses encontros tão prazerosos. Mas, sobretudo, permite que cultivemos novas amizades.

E para terminar, ela colocou em seu blog uma narrativa muito afetuosa sobre nosso encontro, com fotos e tudo o mais.

Como dizem os jovens, “valeu”. “Valeu muito”.



Fotos de Santos daqui, daqui e daqui.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Ecos de fim de semana

Friozinho, em Itanhaém. Foi um fim de semana tranquilo, pois o lugar é tranquilo, mas foi intenso em coisas boas.


Logo de início, ganhei flores lindas, escolhidas pela netinha. Não sei se ela já sabe, ou se foi o acaso, mas escolheu florzinhas da cor que eu gosto. Adoro todas as nuances do roxo.


Tivemos uma festinha caipira (pré-junina), festejamos o 1º aniversário do blog, começamos a nos acostumar com nosso novo cão, aproveitamos bem a rede, fizemos bolo de caneca.


Nosso novo cão, na verdade é uma cadela, "golden retriever", filhote com 8 meses e que já chegou com nome: Duquesa. Até queríamos manter a linhagem russa (nossos últimos cães chamavam-se Bóris, Karloff e Igor), mas ficamos na dúvida se com essa idade ela ficaria confusa com a mudança. Apesar de filhote, é bem grande, e a Isadora já começou bem seu relacionamento com ela.


O bolo de caneca já está virando tradição. Digo que quem faz é a Isadora. Ela vai mexendo os ingredientes e fica toda feliz. No fim, come o bolinho quase inteiro, ainda quentinho.
<



A festa caipira estava muito gostosa, com caldo verde, pinhão, pé-de-moleque, paçoca, canjica e muito mais. Tudo de gostoso dessa época.



E no meio de tudo isso, o almoço de domingo em família, que eu tanto gosto.

Fim de semana sem qualquer defeito.


(Para aumentar as fotos, dê um clique.)

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Ócio criativo


Ainda festejando o 1º aniversário de meu "Blog da Vovó ...mas não só", fui reler o que escrevi quando ele completou dois meses. Eu estava engatinhando na arte de blogar, descobrindo tudo sozinha naquela do "ensaio e erro". E sempre que conseguia aprender algo novo, ficava com vontade de dividir a descoberta com outras pessoas. 
Isso me levou a criar outro blog, o "Aprendendo a blogar e muito mais", que nasceu com o seguinte texto:


Ócio criativo

Antes de me aposentar, há quatro anos, tentei me preparar para alguma atividade diferente, que preenchesse meu tempo de forma prazerosa. Durante meus últimos períodos de férias, ainda no exercício do meu cargo, matriculei-me em um curso livre de História da Música e também num curso de História da Arte. Pensei em voltar a estudar um idioma, inscrevendo-me e freqüentando aulas em um curso de francês. Separei meus antigos livros de música, várias partituras, e ensaiei um retorno ao piano. Treinei, por poucos dias, escalas e acordes, para recuperar minha agilidade no teclado. Cheguei, até, a estudar, novamente, o lindo Adágio da Cantata n. 156, de Bach, uma das últimas peças eruditas que toquei nos meus tempos de “pianista”.

Chegou a aposentadoria e, com ela, a idéia de que me dedicaria ao piano. Não foi o que aconteceu. Embora eu adore piano, que comecei a estudar com 5 anos de idade, não consegui encontrar nele as condições que imaginava para meu “ócio criativo”. Ainda voltarei a esse tema mas, em princípio, acho que isso aconteceu porque, com o piano, eu não estaria desbravando novos caminhos. Estaria voltando a um antigo, que na verdade nunca tinha sido abandonado. Estaria tentando me aperfeiçoar, em algo que já conhecia. Percebi, então, que precisaria de algo novo, que representasse um desafio e que me permitisse a criação.

Foi assim que me tornei blogueira. Meio que por acaso, participando do blog "Nós duas" , fui incentivada a criar um blog da vovó. Nasceu, então, no dia 1º de junho de 2008, o "Blog da Vovó ", que tem me levado a várias descobertas, criações e, sobretudo, tem me dado grande prazer. E por sentir necessidade de aprender mais sobre a técnica dos blogs, parti para esse “Aprendendo a blogar e muito mais”.

Esse foi o texto que eu reli, agora que estou completando um ano de "Blog da Vovó ... mas não só". 
O blog de aprendizado é um blog simples, mas que tem algumas dicas que têm se mostrado úteis. 
E quanto ao ócio ... Ócio ? 
Tenho procurado vivê-lo da melhor forma. E considerando-se que o ócio criativo compreende o trabalho, o estudo e o jogo, acho que a atividade de blogar permite, sem dúvida, que se viva um ócio criativo.

Imagem daqui.



segunda-feira, 1 de junho de 2009

1º aniversário













Hoje meu blog está completando 1 ano de vida. Foram doze meses de redação e publicação de textos, de contatos com outras blogueiras, de estabelecimento de amizades, de novos aprendizados, de aperfeiçoamento e de muito prazer.

Ele começou com o nome de Blog da Vovó, inspirado pela minha então recente posição de vovó. Mas não se limitava a assuntos dessa área, e fui sentindo a necessidade de alterar seu nome, sem descaracterizá-lo. Então ele passou a se chamar Blog da vovó ...mas não só. Foi uma mudança bem analisada, inclusive com participação de comentaristas. Conto tudo aqui e aqui.

Festejei a data em família, com a presença imprescindível da minha filha e neta, que foram as grandes responsáveis pelo nascimento do meu blog.
E para completar a festa, quero agradecer a todos que o visitam, e a todos aqueles que deixam, com seus comentários, o alimento necessário para o crescimento do Blog da Vovó ... mas não só.