terça-feira, 27 de setembro de 2011

Diversão radical



Quando garota, os parques de diversão costumavam se instalar em terrenos grandes e desocupados. Ora eram os circos, ora os parques.
Todos temporários.
Em Santos, havia também o parque de diversões instalado em julho, na areia da praia do Gonzaga, durante a beneficente Festa do Inverno.
E um dos brinquedos mais radicais, dessa época, era a Roda Gigante, principalmente quando a banqueta onde estávamos parava no topo da roda. Essa era a hora de sentir a emoção do brinquedo.
Depois foram surgindo os parques fixos e permanentes, com as “montanhas russas” e muitos outros brinquedos para causar fortes emoções.
Mas eu, que já estava em outra fase da vida, não os experimentei.
Há poucos dias, em passeio pelos parques da Disney, vi de longe alguns desses brinquedos. Contudo, como a criança que me “levou” para a Disney ainda é pequena, nosso programa não incluiu qualquer diversão radical. Nos divertimos em brinquedos singelos, bem infantis.
Mas houve um que se destacou, trazendo emoções para as três gerações. O controle da entrada é pela altura da criança, e a Isadora passou fácil.
E, assim, pudemos sentir o incrível prazer de voar proporcionado pelo “Soarin”, no Epcot.




O Soarin é um simulador de vôo livre, que permite que, de todos os lados, nosso campo de visão seja preenchido por imagens da Califórnia. Como se estivéssemos numa asa delta, passa-se por florestas, serras, deserto, plantações, sente-se o vento, fica-se com a impressão de que nossos pés vão esbarrar na água do oceano.
Terminamos nosso rápido vôo com um enorme bem-estar. Foi muito bom, mesmo.
E a vovó e netinha ficaram com a impressão de que experimentaram um brinquedo radical. Mas falta muito para isso.




Uma outra atração gostosa, do Epcot, foi a do Nemo e seus Amigos . Senta-se num carrinho, com forma de concha, e vai-se acompanhando a busca do Nemo. No final, o “mar” do filme se confunde com um aquário de verdade, onde são projetados efeitos especiais com os personagens do filme. Diversão que encantou a netinha.


                                     
                                                                                              Foto daqui.


8 comentários:

  1. Eu prefiro os comunzinhos também...Radicais, passei dessa fase,rs Lindas fotos e o divertimento foi legal! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Adorei esse Soarin, Helô! Morro de medo de altura, e me pareceu ideal para pessoas como eu!

    Essa viagem está rendendo textos maravilhosos! Que venham mais!

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. QUe momentos inesquecíveis, hem Helô?
    Com certeza sua netinha nunca esquecerá.Nem vc.
    Bj,
    Lylia

    ResponderExcluir
  4. Eu sempre adorei brinquedos radicais, adorava ir na montanha russa e kamikasi, hoje em dia estou beeeem medroso, não vou nesses de jeito nenhum, rs.
    A Nathalia tem medo de alguns brinquedos, acho que não teria tido a coragem da Isadora de ir no Soarin.
    Pelo jeito vcs aproveitaram bem hein, que delicia!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Helô,

    Quando criança eu gostava dos brinquedos radicais, dos parques de diversão. Depois de grande, me aventurei uma vez, numa roda gigante, com um dos meus sobrinhos, e quase faço papelão, quando a cadeira 'balançante' chegou lá no alto, rsrs.
    Estes brinquedos que você mencionou me deixaram com vontade de experimentar, rsrs.

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  6. Oi Heloisa, já vi que se divertiram imenso as três, ainda bem eu nunca fui muito aventureira em andar nesses brinquedos de feiras, tenho medo das alturas, desejo-lhe uma boa semana bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi Heloísa! Vim conhecer seu blog. Que gracinha! Parabéns! Gostei do Soarin! Adoro esses brinquedos com visão 360º que nos trazem sensações! Beijos, Paula

    ResponderExcluir
  8. ¡Qué bonito disfrutar juntas tres generaciones!, debieron ser unos días inolvidables. Me hace gracia que hable de la Feria de Julio de invierno, cuando para nosotros es el mes de más calor.
    Hasta pronto, un beso

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.