terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Carnaval

                                                           Clique para ouvir




Nunca fui muito carnavalesca, no sentido de “pular”, ou “brincar”, durante os dias de carnaval. Pular e brincar eram os termos que usávamos quando íamos aos bailes, ou às matinês de carnaval.

Você vai pular no carnaval?

Em que clube você vai brincar?

O vocabulário era, e ainda é muito peculiar.

Os bailes dedicados aos festejos do “rei Momo” eram animadíssimos, e o pessoal pulava das 22 horas até as 4 horas da manhã. O baile era animado por uma banda que tocava todos os sucessos dos carnavais antigos, Mamãe eu quero, Taí, Jardineira, Aurora ..., e as marchas e sambas do ano. Isso porque, todos os anos havia lançamentos, que eram tocados e repetidos pelas emissoras de rádio durante um ou dois meses antes do carnaval. Quando o carnaval chegava, todos sabiam cantar as músicas novas, que se juntavam às antigas.

Os bailes de carnaval eram, realmente, brincadeiras dos "foliões", que ficavam andando ou pulando, com ritmo, na volta do salão, e cantando as músicas tocadas pela banda. Dava-se muitas voltas no salão, aos pares, ou não.

A decoração do salão era muito alegre e colorida, e havia os confetis e as serpentinas.

 Nas matinês infantis, os pais tinham prazer em levar suas crianças  com fantasias, carregando um saquinho com confetis coloridos, e alguns poucos rolos de serpentina. A isso se juntava a música da banda, e a brincadeira e alegria estavam completas.  

Além do carnaval de salão, existia o carnaval de rua. O mais tradicional era o carnaval com corso (automóveis trafegando devagar, com pessoas fantasiadas sentadas nos paralamas). Depois vieram os blocos, que mostravam um carnaval muito simples, porém autêntico. Em muitas cidades, esses blocos ainda continuam vivos.

Com o tempo, o carnaval foi mudando. Hoje, praticamente, não existe mais o carnaval de salão. Nas grandes cidades, o carnaval transformou-se em teatro ao vivo, com shows fantásticos, que são os desfiles das escolas de samba. Cada escola desenvolve um enredo e tem uma música para contar sua história, que é o chamado samba-enredo. Mas essa música, salvo honrosas exceções, não dura mais que um carnaval, situação bem diferente das músicas dos outros tempos.

Isso porque, as músicas de carnaval, cantadas até hoje em qualquer lugar onde o carnaval esteja sendo festejado autênticamente, são as marchinhas bem antigas, e os sambas e marchas compostos especialmente para o carnaval até a década de 1960. São as músicas eternas do carnaval. Entre elas:

 “Ô abre alas, que eu quero passar,

ô abre alas que eu quero passar,

eu sou da Lira não posso negar,

eu sou da Lira, não posso negar." 


 “Mamãe eu quero, mamãe eu quero,

mamãe eu quero mamar

Dá a chupeta, dá a chupeta,

Dá a chupeta pro nenê não chorar.”


Yoyô dá o braço prá Yayá,

Yayá dá o braço prá Yoyô,

o tempo de criança já passou.

Pirulito que bate, bate.... 


Alá, lá ô, ô, ô, ô,ô, ô, ô,

Mas que calor, ô, ô, ô, ô, ô, ô

Atravessamos o deserto do Saara,

o sol estava quente, e queimou a nossa cara ....

 

“Confeti, pedacinho colorido de saudade,

Ai, ai, ai, ai,

Ao te ver na fantasia que usei,

Confeti, confesso que chorei.”

  

“ Um pierrô apaixonado,

que vivia só cantando,

por causa de uma colombina,

acabou chorando, acabou chorando”.

  

“Se você fosse sincera,

ô ô ô ô Aurora.

Veja só que bom que era,

ô ô ô ô Aurora”.

 Cantaram comigo?

“Pular” no carnaval não me atraía muito. Mas cantar e ouvir as músicas eternas do carnaval, é algo que gosto muito até hoje. Outra coisa que gosto muito é ver as crianças fantasiadas. Por isso, segue um bloco de pequenos foliões, iniciado pela vovó:

A vovó com 1 ano e 3 meses, fantasiada de fadinha, com cabelos encaracolados conseguidos por "papelotes" feitos pela bisa.

O índio com 1 ano e 3 meses.


 A havaiana e o pirata, então com 5 e 7 anos.

                                                             

Borboleta, com 7 meses.


 Com 2 anos e 7 meses, também de borboleta ( ou libélula?).


Fim de festa. Juntando os confetis e as serpentinas.


12 comentários:

  1. Carnaval nunca teve grande influência para mim. Não costumávamos ir a bailes, nunca assisti desfile de escola de samba ao vivo, nunca me fantasiei, mas gosto de alguns sambas-enredo antigos, que foram marcantes. Não gosto nem de viajar nessa época. Carnaval sempre foi sinônimo de descanso.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca gostei de Carnaval, não gosto de usar máscaras, de parecer que não sou. Há coisas que acho divertidas mas nunca fui de pular e dançar! Sou mais de rir :)

    ResponderExcluir
  3. Ao te ver na fantasia que usei,
    confeti, confesso que chorei...lindo!
    Anos 60 - Foi bom te ver outra vez, tá fazendo um ano, foi no carnaval que passou...vou beijar-te agora, não me leve a mal, hoje é carnaval!
    Suas fotos estão muito lindas...passadas e presentes! Agora é esperar pelo de 2010.
    Kisses

    ResponderExcluir
  4. Oi, Heloisa! Que post legal! Adorei a Carmen Miranda, as letras das marchinhas - cantei quase todas nesse Carnaval. Mas as fotos são tudo de bom. Vc de fadinha, os filhos (estou certa?) e a terceira geração que, pelo visto, adora borboletas e libélulas. Todos muito bonitos!

    O Carnaval acabou e, ainda bem, o gosto de cabo de guarda-chuva na boca é pouco este ano... Me poupei...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Heloísa, amei as fotos, as tuas fotos são muito lindas.

    Sabe que eu conheço todas aquelas marchinhas. Cresci nos bailes e nos blocos. Mas escolas de samba são a minha paixão, amo os sambas de enredo. Desfilei na Vila Isabel 14 anos e mais 2 na Unidos da Tijuca...

    Sabe uma marchinha que eu adoro:

    Oh quanto riso, oh quanta alegria
    Mais de mil palhaços no salão
    Arlequim está chorando pelo amor da Colombina no meio da multidão...

    E tinha um refrão

    Vou deixar-te agora
    Não me leve a mal
    Hoje é Carnaval..

    Eu amo carnaval!

    Beijos,

    C.

    ResponderExcluir
  6. Que lindo este post de Carnaval. Adorei os sambinhas de carnaval, alguns são bem conhecidos aqui. As fotos são encantadoras. Também adoro ver as crianças mascaradas, elas vivem mais a fantasia, não é?
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Gina e Ameixa,
    Eu também não sou "foliã" mas, como disse, adoro as marchinhas, ver as crianças fantasiadas e a alegria.

    Lúcia e Cláudia,
    Tanto riso, tanta alegria ....
    Vou beijar-te agora, não me leve a mal ...
    Essa é a "Máscara negra" do Zé Keti, que eu quase coloquei na abertura do meu post. É linda!

    Valéria,
    Adoro essas marchinhas. Você percebeu: as fotos são do meu núcleo familiar. Eu, filhos e neta.

    Isabel,
    Esse carnaval que eu postei é mesmo muito gostoso. Músicas deliciosas, que trazem muita alegria. Você me viu de fadinha?

    Beijos para todas.

    ResponderExcluir
  8. ___________________________________


    Que delicia esse seu texto, as fotos das crianças... É, houve um tempo em que o Carnaval era realmente uma festa de brincar...


    Beijos de luz!!!

    __________________________________

    ResponderExcluir
  9. Helô, não gosto muito de carnaval. Nunca fui de brincar o carnaval porque tenho medo de pessoas com fantasias. Mas tenho levado Giovana para brincar. E ela gosta bastante, mas, também tem medo de mascaras.
    A Isadora tá linda demais.
    Beijos para vcs.

    ResponderExcluir
  10. Nossa adoro as marchinhas, isso sim ´carnaval, pena que as coisas boas vão se acabando.
    Aqui em Porto Ferreira ainda temos os carnavais em salões, no matinê tinha um banda tocando e só tocaram as marchinhas, uma delícia. Temos também os tradicionais bocos de rua, eu sinceramente não gosto, é bloco do Boi, bloco da Vaca, Broco do Burro, Bloco da Crioula, os blocos fazem os bois de bambu e cobrem com pano e fazem o rosto do boi, fazem em QGs.as pessoas se reunem e depois desfilam atrás deles, mis no fm só sai briga e confusão, maisétradição da cidade e as pessoas gostam, àuns anos atrás até era gostoso, mais agora é só violência.
    As fotos achei lindas, como vocês são parecidas, impessionante.
    Beijos e vamos começar o ano né.

    ResponderExcluir
  11. Querida prima,
    Sempre disse que não gostava de carnaval, mas tenho boas lembrancas dele, principalmente na nossa mocidade em Santos. Também brinquei muito em bailes em Olímpia. Então cheguei à conclusão que não vou atrás dele, mas se ele me pega, caio na folia. Será que até hoje? Pergunta que me ocorre agora.
    Beijos
    Cecília

    ResponderExcluir
  12. Mundo azul, Patrícia e Simone,
    Muita coisa mudou. Mas ainda dá para brincar sadiamente, nem que seja escutando as marchinhas dentro de casa e "pulando" com as nossas crianças.

    Cecília,
    Achei muito interessante sua colocação e também me vi mais ou menos como você.

    Beijos

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.