segunda-feira, 4 de maio de 2009

Ano da França....na minha casa

No último dia 24 de abril, teve início o Ano da França no Brasil, que terá duração até o dia 15 de novembro.

Durante esse período muitos serão os debates, as atrações artísticas, os encontros gastronômicos, tudo para ampliar o conhecimento da França contemporânea e estreitar as relações entre o Brasil e a França.

Em 2005 ocorreu o contrário: o Ano do Brasil na França.

Espero, nos próximos meses, ter a oportunidade de participar de alguns dos eventos já programados.

Gosto muito da língua francesa, dos filmes franceses, gosto muito de escutar Édith Piaf e Charles Aznavour, gosto bastante da culinária francesa e ... adoro Paris.

E foi pensando nisso tudo que resolvi iniciar o Ano da França na minha casa, “en pétit comité” .

Aproveitei o domingo para assistir um filme encantador, ouvir um CD do Aznavour e para fazer de sobremesa um “ crème brûlée” ( pela primeira vez).

O filme foi “Os Guarda-Chuvas do Amor”, com Catherine Deneuve, mocinha, lindinha. É um filme do ano de 1964, todo cantado e que foi vencedor da Palma de Ouro em Cannes. Delicado, ingênuo, mas triste, muito triste. A trilha sonora é do Michel Legrand que, acabo de saber, irá se apresentar com diversas orquestras sinfônicas brasileiras, durante o “Ano da França no Brasil”. A música- tema do filme é linda e bem conhecida.



O  CD do Aznavour é repleto de sucessos, entre os quais “ Et pourtant”, “La bohème”, "Que c’est triste Venize”, "She" e "Ave Maria". Escutei já na cama, pronta para dormir. Sempre leio um pouco e escuto música boa para o momento.

E o doce, “uh lá lá" ! Acho que, das sobremesas francesas que conheço (pelo menos das que são servidas por aqui), é uma das mais saborosas e leves. Eis meu resultado:

É um creme delicado, coberto por uma camada fina de açúcar queimado, feita praticamente na hora de servir. Para esse caramelo, é necessário que se tenha um maçarico próprio para cozinha. Procurei o acessório em algumas lojas, mas não o encontrei. Resolvi fazer assim mesmo, e tentar caramelar aquecendo bastante uma colher de sopa, que seria passada de leve no açúcar polvilhado no doce. Não deu certo.

Resolvi, então, fazer um caramelo grosso no microondas e o resultado ficou bom. O doce é uma delícia. Fiz uma pesquisa de receitas e acabei escolhendo essa. Para os próximos, espero já ter encontrado meu maçarico.

22 comentários:

  1. CONHEÇO, AZNAVOUR, EDITH, A CULINÁRIA, O FILME
    CONHEÇO TUDO ISSO POR CAUSA DE ALGUEM QUE SE FOI, MAS NÃO SEM ANTES ME MOSTRAR COMO AS COISA SÃO ETERNAMENTE BELAS
    SÓ ME FALTA MESMO IR A FRANÇA
    UM BEIJO

    ResponderExcluir
  2. Oi Heloisa, obrigad mesmo por comentar em meu blog!
    Você é uma pessoa encantadora!!
    Beijos
    Ale

    ResponderExcluir
  3. Que delicia vir aqui.

    Aguarde que virei sempre.
    Beijos ...Muitos

    Denise

    ResponderExcluir
  4. Oh la la, la France! J'aime la France aussi! E essa sobremesa, ai que delícia!
    Voltou com tudo, não é assim que vocês dizem? Voltou com tudo, Heloísa!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá Heloisa,
    Muito oportuna sua referência ao ano da França no Brasil. O filme que vc cita é mesmo muito triste, acho que foi o primeiro a que assisti e que era totalmente cantado, ainda me lembro dos risinhos abafados da platéia no cinema...faz tempo, amiga! Mas as músicas são lindas e o baixinho do Charles Aznavour tinha uma voz muito bonita.
    Seu crème brûlée deve ter ficado gostoso. Se vc não achou ainda o maçarico, pela internet tem para vender e o correio entrega em casa.
    Kisses e tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  6. Dona do Mundo, Gina, Michele, Lê e Denise,
    Obrigada pelos comentários.

    Isabel,
    Quer dizer que até nosso jeito de falar você está pegando?
    A expressão é essa mesma "voltar com tudo".

    Beijos para todas.

    ResponderExcluir
  7. Aos vinte e poucos anos de idade....uma pessoa, com vários questionamentos, procura encontrar respostas sem ter que esperar mais cinquenta anos até que a vida ensine....Sou daquelas pessoas que acredita não ser necessário colocar o dedo na tomada para saber que deste ato outro é gerado, causando efeitos dolorosos. Desta forma, ouvir a quem muito viveu é uma sabedoria essencial na busca pela felicidade. E não é qualquer pessoa que passa por uma vida trazendo consigo bagagens valiosas......pelo muito que li e refleti sobre seus pensamentos blogados, acredito ser você detentora de vários tesouros de vida....e aqui vai algumas questões...

    Como fazer para que as pessoas nos amem, não pelo que temos ou pela classe social econômica e cultural que ocupamos?

    Como fazer para dominar nossos defeitos?

    Como conviver com pessoas difíceis?

    Como mostrar para pessoas difíceis que você sente amor por elas?

    Como acreditar em você mesma, quando a torcida do flamengo tem a convicção que você não é capaz?

    Como dominar seus medos?

    Como ser uma pessoa melhor?

    Como passar pela vida e não deixar que a rotina ou a fria realidade apague seus sonhos?

    Como ser forte?

    Como esquecer os mais dolorosos atos que alguém dirigiu a você?

    Como não querer agradar a todos, e deixar de se importar com a opinião alheia?

    Então......se tiveres alguma coisa a dizer, me escreva!
    nanadaher@gmail.com

    ResponderExcluir
  8. Heloísa, para não imitar a minha irmã (ela é "perita"em port. do BR rsrs) vou dizer que vc voltou em grande estilo!
    Belo post!
    Tb adoro a França, adorava passar lá um mês inteirinho para conhecer muita, muita coisa.
    Esse docinho deve ser fabuloso, quanto à música, ai meu Deus, adoro a música francesa.
    Ah, la France!

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Não conheço a França... na verdade não é dos países que me atraem mais para conhecer. Se me dessem a escolher eu optava por outros países europeus primeiro. Mas acho que um dia eu vou lá conhecer. As comidas têm um aspecto delicioso e a música é encantadora. Adorei esta tua ideia :)

    ResponderExcluir
  10. Querida Heloisa, eu vi "os guarda-chuvas do amor" quando era criança, minha mãe me levou ao cinema para assistir. É muito bonitinho o filme, com a Catherine Deneuve cantando e dançando. E esse doce, hum... que cara ótima!

    Tô sumida de todos os blogs, tempo curtíssimo, cheia de trabalho, graças a Deus.

    Um beijão

    ResponderExcluir
  11. Também adorei essa ideia! Qualquer hora - quando eu tiver um tempinho - tb vou adotar acontecimentos temáticos aqui em casa! Nem preciso esperar a comemoração dos três anos da Isadora, que está chegando... Mas o tema não está definido. Quem sabe algo francês também? Lembrando dos carrosséis tão lindos que lá vi recentemente...bjs, Pri

    ResponderExcluir
  12. Oi Helo, fui casada com francês, da Alsácia, então tive a oportunidade de ir lá enquanto casada e conhecer regiões que ainda não conhecia.

    não aprendi francês bem mas pra quem não sabia NADA, eu até que sei algumas coisinhas : )

    eu AMO creme broule. É uma das minhas sobremesas prediletas! Olha, aqui é muito fácil a char o maçarico! Me avise se vc quiser um.

    bjs e bom ano da França!

    bisou

    ResponderExcluir
  13. Anônimo (a),
    É um questionário e tanto, não?
    A vida vai nos ensinando aos poucos, e só precisamos estar atentos para aproveitar as lições. O importante é que acreditemos em nós mesmos, sejamos tolerantes, respeitemos o próximo e, nos relacionamentos, não percamos tempo com bobagens ( a vida é curta).

    Cláudia,
    Vamos combinar um mês na França? :) Eu também gostaria de um bom tempo por lá, conhecendo o interior.

    Ameixa,
    O doce é bom, mesmo!

    Valéria,
    O filme é muito delicado. Bem da época.
    Que bom estar cheia de trabalho, não?

    Pri,
    Ótima ideia. Uma quiche, uma saladinha com queijo de cabra quente, um crème brûlée e um vinho. Noite francesa sem defeito.

    Isabella,
    Ça-va? Muito obrigada por seu gentil oferecimento. Se precisar, eu aviso. Na próxima semana devo ir até São Paulo e lá vai ser mais fácil.

    Beijos para todas.

    ResponderExcluir
  14. Oi Helô, estou no trabalho pagando um mico, praticamente babando nas suas fotos do creme brule. Nunca fiz em casa, pois não tenho o maçarico, mas agora acho que posso tentar. Muito boa a sua idéia do Ano da França na sua casa. Bjos querida.

    ResponderExcluir
  15. Helô, adoro quando vc divide seus conhecimentos conosco. E esse doce parece maravilhoso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Uau! Mas isso é que pode-se chamar de 'mulher prendada'!
    Além de bordar, cuidar da casa, internetar, cuidar da neta, ainda faz coisas deliciosas na cozinha!
    Parabéns!
    Gosto muito das músicas francesas, principalmente estas que indicou.
    beijos cariocas

    ResponderExcluir
  17. Maria Carambola,
    Pode fazer, que dá certo. A camada do açúcar queimado não fica tão fininha, mas não há problema. Continua uma delícia.

    Paty,
    O doce é bom mesmo.

    Beth,
    Uau! Hoje é assim. Vovó, porém bem antenada.

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Voce asistiu o filme da vida da Piaf que saiu a pouco? ( ou melhor o ano passado). Muito dramatico e eita mulher que sofreu viu...que voz.
    Respondendo tua pergunta la no SM...resolvi o problema da valvula no banheiro e tive que pagar pelo conserto...US$333.00, um absurdo !Aqui eles metem a faca e roda !
    bjs,

    ResponderExcluir
  19. Elena,
    Vi o filme e gostei muito, apesar da tragédia da vida da Piaf. A atriz foi ótima, e as músicas, muito lindas.
    Que incrível! Quantas verdinhas por um conserto simples (pelo menos me parece).
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Heloísa,

    Outro dia eu descobri que este é o ano da França no Brasil. E aqui em casa também é celebrado mais um ano da França!!! Ia fazer um comentário sobre isso mas deixei passar. Mais afrancesada do que eu não há. Acho que é por causa do Bourdieu, o teórico francês que eu passo minha vida lendo (risos)!

    Ficou lindo o creme, eu amo.

    Bj,

    C.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.