quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Viroses?

Há um mês, ou mais, uma virose atrás da outra. No meio, uma infecção urinária e uma erupção na pele, que não cede. O catarro e a tosse, também persistem. Já se passaram os três dias em que a virose deveria ceder, e mais três, e mais três... Médicos, laboratório, pronto socorro infantil.

Parece que os cuidados com a saúde das crianças ficaram mais difíceis. Não sei se isso se deve ao aumento dos “vírus”, ou ao desenvolvimento das especialidades médicas.

Há tempos atrás, resolvíamos os problemas praticamente com o médico pediatra, como já tive a oportunidade de relatar no meu post do dia 27/08/08 (http://blogdavovohelo.blogspot.com/search/label/pediatra).

Pronto-socorro, raramente, até conto nos dedos (três vezes para dois filhos). Exames laboratoriais, nem me recordo. É verdade que o pediatra que acompanhou o nascimento dos meus filhos seguiu-os até a adolescência.  

É verdade, também, que para as pequenas ocorrências, e antes que aumentassem, ou agravassem, usávamos remédios homeopáticos. Esses, eram indicados por minha mãe que, do alto de sua experiência, após ter criado nove filhos só com homeopatia, sabia exatamente o que seria bom para nossas crianças.

Ora, se não há medicação alopata para muitas das ocorrências infantis, por que não usar a homeopatia, ou mesmo a fitoterapia?

Já estava com esse texto pronto, quando parece que surgiu um diagnóstico. A tosse e o catarro, depois de dias e dias aguardando-se o fim da “virose”, sem qualquer medicação  (a não ser anti-térmico), evoluíram “bem” : “rinosinusite e infecção respiratória aguda com sibilância” (até tremo ao escrever isso). Quanto à pele, “parece ser eritema infeccioso”. Restam dúvidas em relação à infecção urinária. Será que já está curada? Por que a criança está ficando até mais de dez horas sem urinar? Embora o empenho de horas e horas no laboratório, não foi possível fazer a coleta. O que nos dizem?

Acho tudo um absurdo tão grande que, embora não tenha certeza de sua pertinência, lembrei da famosa frase de Cícero : “ Quousque tandem abutere, Catilina, patientia nostra? “

 

9 comentários:

  1. Vovó Helo, fiquei preocupada, a Isadora tá dodói??? Estarei orando por vcs!
    Esses diagnósticos nos deixam irritadas né, é sempre virose, temos que esperar dias e daeh quando não passa essa "virose", daeh sim eles acham um diagnóstico verdadeiro. Porque já não fazem todos os exames quando a criança apresenta os sintomas??? Mas não, pra eles é tudo virose!
    Fiquem com Deus e melhoras pra Isadora se for ela que estiver dodói! Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Puxa, Vovó Helô, é a Isadora que esta doentinha?Fiquei preocupada. A minha filha também esta com infecção urinária, que coisinha chata essa infecção.
    Eu fico muito nervosa com essas viroses, essa coisa de esperar pra ver se é ou não, me deixa doida.
    Eu entendo a sua aflição quanto aos especialistas, eu enquanto criança, acho que nunca fui. Mas a minha filha, com apenas 3 anos, ja foi em dois otorrinos, um neurologista e até em um cardiologista (eu nunca fui em um). E eu não tenho mania de doença, todas as vezes, foi solicitado pela pediatra. E isso que é uma criança muito saudável.

    bjs
    Fernanda

    ResponderExcluir
  3. Nossa Vovó Helô é a Dodora que apresenta esses sintomas? Tadinha. Dela e de todos ao redor que sofrem junto. Disse esses dias para a dona da escola do meu filho que não existe coisa pior pra uma mãe (no caso, para uma avó também, por que afinal, é mãe 2 vezes, rs)quando os filhos estão 1) doentes ou 2) não querem comer. Estou enfrentando o dilema nº 2 há uns 20 dias ou mais. Já fizemos exame de sangue, urina e fezes e vamos ter o diagnóstico hoje. Apesar de saber que temos 95% de chances de não ser nada patológico, mas algum incômodo por conta dos dentinhos, manha ou "fase", fico muito preocupada. Entendo perfeitamente a situação de vocês. Ficamos com o coração na mão. Manda um beijão pra Pri, pra linda Dodorinha, que se Deus quiser logo logo está 100% novamente e um grande pra Sra.
    P.S:Mande-nos notícias.

    ResponderExcluir
  4. Helô,

    eu convivo e convivi minha vida inteira com muitos médicos.
    E posso afirmar que o difícil, na medicina, é o diagnóstico.
    Remédio existe para quase tudo. Mas sem saber o que a pessoa tem, não adianta! (por isso o "Dr. House" faz tanto sucesso...)

    Não por acaso, um dos melhores médicos que conheço é um clínico geral. Os "especialistas" tendem a ter uma visão estreita.
    Pena que moramos tão longe, ou lhe indicaria 2 bons médicos para a Isadora (1 aqui em Floripa e outro em Guaratinguetá).
    De qualquer forma, se quiser lhe dou os e-mails deles. Outro dia o pediatra da minha menina, que estava viajando (é um dos 2 acima), fez o diagnóstico dela via e-mail. Descrevi os sintomas e enviei fotos. Achei melhor que arriscar outro médico. Em menos de uma semana ela estava bem.

    (Mas, olha, nesta idade da Isadora, realmente as viroses são terríveis. Uma vez minha menina vomitava tanto que foi passada na frente de todas as outras crianças que, como ela, estavam na emergência pediátrica, aff!)

    Tudo de bom para vocês e me avise se eu puder ajudar!
    beijos!

    ResponderExcluir
  5. Helô, sou uma mãe tardia e tento cuidar da minha menina, hoje com 8 anos, da maneira mais natural possível. Mas é uma tarefa difícil!


    O corpo humano ainda é um mistérios mesmo que os médicos já saibam tanto sobre ele. As pessoas são diferentes, os corpos são diferentes, reagem e resistem diferentemente. No mundo moderno as crianças estão expostas muito mais cedo a uma série de substâncias que podem causar doenças e todo tipo de irritações e sensibilidades. Desde corantes alimentícias a micro-ondas de telefone celular. Crescemos longe disso tudo e de algum jeito permanecemos imunes a grande parte delas. Mas o pequenos estão mais expostos, precisa observar ela atentamente, tudo o que ela faz, come, bota a mão!

    O que queria te dizer é que as vezes é difícil mesmo, os exames não mostram nada, os médicos não sabem o que está se passando e cabe a você usar um pouco da sua sabedoria. Observar, cheirar, provar, tentar. Como você já está fazendo.

    Vírus são muito, estão em todo canto e com viroses não há antibiótico. Tem que ter paciência e esperar. Duro, mas tente outras coisas e faça esta menininha beber água, muita água, para lavar todo corpinho dela por dentro.

    É duro, Helô, manter a calma num momento em que uma criança está sofrendo, mas você parece estar conseguindo manter o bom senso e segurando a peteca com sabedoria.

    Boa sorte!!

    Cláudia

    ResponderExcluir
  6. Vovó, não fique assim! Crianças sempre se recuperam muito rápido! E tem estas fases em que a criança tem uma coisa após outra. Mas, ela estará bem, logo, logo. Vamos todas orar pela recuperação da Dodora!
    Um abraço bem apertado!
    E muitos beijinhos pra vc, Pri, e Dodora

    ResponderExcluir
  7. Oi Vovó Helô,

    É difícil mesmo...Esta tal da virose então...
    Ano passado meu filho teve uma fase assim, de várias viroses e de duas otites durante um curto período. Lembro de ficar semanas sem dormir direito! Eram idas e idas a pronto-socorro, pediatra...banho de madrugada para ajudar a abaixar a febre... Um sufoco!
    Agora ele está tratando de uma otite novamente!
    Já tem um tempo que também estou pensando em ir a um homeopata. Por enquanto estou fazendo um tratamento com vacina (de gotinhas) com um alergologista que já me trata e a outras pessoas da família há bastante tempo. Aparentemente tem ajudado, pq o Vítor vivia com o nariz escorrendo e isso melhorou bastante.
    Acho que devem ter mais vírus mesmo, e mais poluição, mudanças bruscas no tempo, e por aí vai...
    Deu para entender também porque a Priscilla está tão sumida!!!!

    Bjs,
    Paula

    ResponderExcluir
  8. Heloísa, é mesmo desesperante vermos as nossas crianças doentes, sentimo-nos tão impotentes, não é? Eu tb passei um mau bocado com a minha filha, antes de um ano já estava a tomar antibiótico, por causa de amigdalite. Aos 3 anos, qdo foi para o infantário, eram otites e amigdalites atrás umas das outras, foi um desespero. Nem sei quantas vezes ela já tomou antibiótico, o que é péssimo, pois vai diminuindo as defesas. Tb teve infecção urinária bem pequenina, nem sei como apanhou. Acho que, qdo usam fraldas, são as próprias fezes que podem causar. Mas tb não entendo como "no nosso tempo" não havia tantas doenças como agora: só pode ser da poluição e da alimentação que fazemos, está tudo contaminado com químicos. Tb adorava só recorrer à homeopatia, acho que é muito mais saudável.
    Isso de ficar tantas horas sem urinar, uma vez eu li que pode ser desidratação, que os próprios rins retêm os líquidos para o corpo não desidratar mais.
    Fico fazendo pensamento positivo para que tudo se resolva rapidamente. Bjs amigos para todas.

    ResponderExcluir
  9. Oi vovô!
    Obrigada por sua visita lá no nosso blog, que a apesar do semi-abandono não queremos largar!

    Essa história de virose já está virando lenda. Eu, particularmente, culpo as especialidades médicas. Sabe-se muito de quase nada.
    Eles (os médicos) esquecem de avaliar a criança - e os adultos - como um indivíduo, com suas peculiaridades, e esquecem que têm hábitos, meios de vida e atividades que muitas vezes influenciam nos diagnósticos. Além disso, vêem só problema como um problema específico e não como um sinal de uma coisa maior ou até mesmo de uma coisa super simples que se resolveria justamente com os remédios homeopáticos que sua mãe mesma prescrevia..
    Será mesmo que isso representa o futuro? Eu espero que não!

    Beijocas

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.