quinta-feira, 23 de abril de 2009

Leite Derramado II

Terminei a leitura do “Leite Derramado” do Chico Buarque (Francisco Buarque de Hollanda). Em poucos dias li a história contada na primeira pessoa por Eulálio d’Assumpção, história essa que se inicia em tempos anteriores ao Império (há referências aos seus ancestrais portugueses) e vem até os dias atuais, com seu tataraneto carioca.

O livro é absolutamente cativante, por seu texto fluente, leve e ao mesmo tempo profundo. É sensível e tem humor. Trata-se de um monólogo de um centenário, “antigo aristocrata”, que terminal em um leito de hospital fala sobre sua vida e de sua família, ora para a enfermeira que o está atendendo, ora para sua filha. E ao contar sua história, no meio de seus devaneios e delírios, ele fala sobre a decadência de sua família, sobre seu amor idealizado (ou doentio) pela mulher, Matilde, com quem casou e que logo o abandonou, sobre os problemas de seus descendentes, sobre o esnobismo de sua mãe, sobre problemas raciais, sobre a solidão, sobre a impaciência dos jovens. Fala, volta para trás, repete, confunde, embaralha histórias do neto com as do bisneto, ou será com as do tataraneto? E, de repente diz :

“Mas se com a idade a gente dá para repetir certas histórias, não é por demência senil, é porque certas histórias não param de acontecer em nós até o fim da vida”.

Eu, que sou fã ardorosa das músicas e poesias do Chico (letras de músicas), e que não havia lido nenhum dos seus livros (só conhecia Benjamim, porque vi e gostei do filme nele baseado), fiquei com mais um motivo para aumentar minha admiração por sua obra.

E agora, estou na espera para assistir ao filme Budapeste, que logo estará nos cinemas ou, melhor ainda, para ler o livro e ver o filme.


Tirei a foto daqui.

Crédito Bruno Veiga.

14 comentários:

  1. OBA !
    Mais um livro para eu ficar com vontade de ler !
    Adorei a idéia !

    ResponderExcluir
  2. Uma frase muito pertinente :) Adoro os olhos do homem!

    ResponderExcluir
  3. "certas histórias não param de acontecer em nós até o fim da vida”. muito bom, realmente é assim que a vida é, adorei. Depois passa lá que tenho um selinho pra você. Grande Abraço e um lindo fim de semana pra você

    ResponderExcluir
  4. Hoje foi vc quem me deu arrepio!
    Acordei esta manhã, pensando assim: Que legal, quanta coisa nova, nem me lembro mais do que aconteceu um tempinho atrás! Fatos, pessoas, mágoas e etc...Não há espaço nem vontade de recuperar. Nem há tempo para perder com o passado; passou, acabou!
    Pelo visto, completamente diferente do Sr. Eulálio. Aliás, quando as histórias ficam se repetindo é porque a fita de gravação acabou!
    Eu, hein?! Comprei uma fita novinha que está gravando o presente, o agora.
    Mas ainda não li o livro do Chico, então depois comento o 'Leite Derramado', a obra literária. Deve ser muito bom.
    Kisses

    ResponderExcluir
  5. Monica,
    Realmente vale a leitura.

    Ameixa,
    Você tem razão. Os olhos deles são lindíssimos.

    Lisa,
    Obrigada pela lembrança do selinho.

    Lúcia,
    Rio muito com você. Que legal ter comprado uma fita novinha, para novas gravações, que espero que sejam todas muito boas.
    Você leu sobre aquelas experiências que estão sendo feitas para apagar, por completo, fatos memorizados? Quem se candidata?

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Que interessante, Heloísa! Também acho as letras do Chico geniais! Queria muito ter mais tempo pra ler...

    bjs

    ResponderExcluir
  7. Heloísa, ando preguiçosa para leitura. Preciso retomar a fase que lia um livro após o outro. É muito enriquecedor. O que se leva dessa vida, senão o lado moral e o conhecimento?
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Heloísa,


    Estou aqui rindo do comentário da Lucia tentando fazer o meu. O Chico é o máximo e me parece sugestivo que eles esteja escrevendo sobre o tema da recapitulação da vida. Achei meu pessoal. Será que ele está experimentando isso pessoalmente?

    Deu vontade de ler o livro. Eu gosto muito dele.

    Bj,

    C.

    ResponderExcluir
  9. Gosto muito do Chico também... e assisti a um show do mesmo faz muito tempo aqui em SP e ele entrou no palco calibradíssimo e disse que sua timidez o impedia de ser diferente... é brilhante e extremamente tímido... o Show valeu a pena mesmo assim! rsrs
    Vou ler o livro! Beijo grande, Ana Luiza

    ResponderExcluir
  10. Ótima dica! Tô acabando de ler Rubem Alves e este será o meu próximo com certeza!
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  11. Fiquei louca de vontade de ler. Acho que ainda não chegou aqui, mas quando chegar vou comprar de certeza.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Bonito o post Heloísa. Gostei da sua narrativa (sinopse) do livro.
    Quem não admira este ícone da poesia brasileira?
    O primeiro livro que li dele, já faz tanto tempo... é maravilhoso.
    Marcou uma época da minha vida.
    Se conseguir encontrá-lo chama-se FAZENDA MODELO.
    Procure no Google,nformações sobre a estória do livro. É muito interessante.
    bjs
    Feliz Dia das Mães...Avós..Mulheres

    ResponderExcluir
  13. Heloísa,
    como admiradora do Chico, me senti incentivada pelos seus comentários a ler seu novo livro. Acho muito válido ele ter procurado novos caminhos na arte, aproveitando seu grande talento. Talvez na música ele agora estivesse se repetindo
    UM abraço
    Cecília

    ResponderExcluir
  14. Ganhei este livro de presente. Vou levar par ler nas férias. Abç, Clarissa.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.