quinta-feira, 9 de abril de 2009

Comunicação

Quando eu era criança, a telefonia era extremante precária. Poucas eram as pessoas que tinham telefone em casa, e a comunicação por telefone era praticamente urbana.

Com o tempo, foi surgindo o serviço interurbano, mas que só se realizava mediante a intermediação de uma telefonista. Dava-se o número do telefone e especificava-se a cidade. Daí, aguardava-se que a telefonista completasse a ligação, procedimento que às vezes demorava horas.

É inacreditável, mas o serviço de discagem direta à distância, que parece que sempre existiu, é muito recente.

Por tudo isso, o principal meio de comunicação era a carta, e o serviço de correio tinha uma importância enorme. Do exterior, então, a correspondência era praticamente o único meio de comunicação entre pessoas. As ligações internacionais eram difíceis e caras.

Hoje, o avanço da comunicação é algo impressionante. Conversa-se com pessoas que estão do outro lado do mundo, com a maior facilidade. Pelo telefone, a discagem é direta e instantânea.

E o mais incrível é a comunicação pela internet. Fala-se enxergando-se o outro. Conversa-se como se estivéssemos muito próximos, embora separados por um oceano.

Fico pensando qual o entendimento que as crianças podem ter a respeito dessa comunicação. Outra dia, num mesmo período noturno, minha netinha, que tem 2 anos e 9 meses, conversou com sua mamãe, que estava na Europa, e com seu titio, na Oceania. Falou enxergando-os, e interagindo totalmente com eles. Mandou e recebeu beijos, e até ofereceu, para sua mamãe, um pedaço de bolo que estava comendo, dizendo que era para ela comer “de mentirinha”. Acho que, para ela, é difícil entender que existe distância, e que sua mamãe estava a quilômetros e quilômetros do seu alcance.

É uma coisa realmente fantástica.

Mas que também era muito bom, anos atrás, receber uma carta que se estava esperando, era. Ou, então, um postal de alguém querido que estava viajando. Aguardava-se o carteiro com grande ansiedade, e quando a correspondência chegava era uma alegria.

Hoje, o carteiro só nos traz faturas e publicidade. Acabou-se a magia das cartas.

Ainda bem que há outras magias, e que temos o som do computador, para nos avisar que alguém está querendo se comunicar conosco.



Mandando um beijo para a mamãe.


Pena que não tive a ideia de fazer as fotos quando a Isadora estava oferecendo bolo para sua mamãe. Pena, também, que estava usado um computador que não é o usual, e que tem uma verdadeira poluição visual de fios.

16 comentários:

  1. Nossa, Heloísa, o que já escrevi de cartas nessa vida! Srmpre nos mudamos e como vc disse a "única" maneira de se comunicar era por cartas. Eu amava receber cartas e largava tudo pra ir responder na mesma hora.
    Mas não acho que a internet e os meios de comunicação modernos reaproximou as pessoas como poderiam porque a essência humana leva muito tempo pra ser mudada... Não é todo mundo que acompanha essa evolução e/ou tem hábito de se comunicar. Não é curioso? Vamos ver como essa nova geração se sai...

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Continuo a preferir receber e escrever cartas manuscritas :) Mas não é um serviço muito barato! O e-mail e a web-cam são bem mais práticas!
    Boa Páscoa :)

    ResponderExcluir
  3. Que postagem interessante, Heloisa. A comunicação ficou mesmo muito facilitada pelo progresso tecnológico...e a sua belezinha já cresce num outro patamar de possibilidades! E parece bem desembaraçada no uso da câmera e do microfone. Parabéns... e Feliz Páscoa para você e seus familiares.
    Kisses

    ResponderExcluir
  4. Oi Heloisa, sempre curtindo a netinha, né? Isso é muito bom mesmo!
    Agradeço sua visita ao meu blog; apareça sempre. Como o meu asunto é específico, não atualizo com muita frequência, mas tem muita música boa lá pra vcs ouvirem.
    Visitei seu blog de viagens e achei ótimo; vc deu um verdadeiro "show" na reportagem sobre suas visitas a B.Aires (com música de fundo e muitas fotos). Realmente só indo várias vezes pra aproveitar tudo o que lá tem de bom. Pretendo voltar quando puder.
    O Café de los Angelitos fica na Av.Rivadávia, 2100. Creio que todos os shows de tango em B.Aires são de alto nível, com pequenas diferenças na apresentação; mas é bom variar...
    Você é mesmo "passeadeira". Parabéns!
    Um abraçao.

    ResponderExcluir
  5. Heloísa,

    Sabe que outro dia eu conversava com a minha filha sobre como as coisas funcionavam quando eu era criança. Comonão havia nada do que ele tem hoje. Imagina, com 9 anos já tem celular.

    Contei para ela que eu morava no Rio e tinha um namorado em Juiz de Fora e como era difícil falar com ele, como era caro e como tínhamos que combinar os telefonemas e as pessoas ficaram paradas esperando. Meu namorado era do interior de Minas e estudava em JF e não tinha telefone. Eu ligava para a casa de uma vizinha para e ele ficava lá esperando. Era um tal de recado com a vizinha que hoje ninguém imagina.

    Mas era mais bucólico. Mais difícil, mais mágico.

    Espero que você tenha tido uma ótima páscoa. Não fiz muito além de passear e cozinhar.

    Beijos,

    C.

    ResponderExcluir
  6. Olha a Pri aíiiiiiiiiiii, que saudades desta moça linda!!! E Dodora só na net, hahahaha!!!

    Bjo bjo bjo!

    ResponderExcluir
  7. Seu post me fez voltar no tempo. Lembra dos cartões de Natal?
    No trabalho (Banco), tínhamos que ligar para agências do interior, onde atendia uma telefonista, que mandava recado para a agência, marcando horário para um funcionário ir até o posto telefônico aguardar nova ligação. Que facilidade temos hoje!
    Quando minha filha passou um ano na Espanha, me perguntavam pela saudade, mas que saudade? Nos falávamos diariamente e nos víamos.
    Minha mãe não entrou na era da informática, então continuamos a nos corresponder por carta, mas o detalhe é que digito no word, mas assino, claro!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Ola Heloisa, ja pensei muito sobre este tema, vc escreveu tao bem aqui! eu, que me formei em 2000, ainda fazia pesquisas na biblioteca da faculdade, ia ao forum ver processos, mandava cartas e mais cartas para minha familia qdo morei fora..e agora eh assim, tudo tao rapido que as vezes chega a ser ruim, com a facilidade da comunicacao as pessoas tb esquecem de que nao eh facil a adaptacao qdo se esta longe, e que por mais que a comunicacao seja fantastica, abraco, carinho e sorriso fazem muita falta neh!
    bjs! vc escreve demais de gostoso e claro!

    ResponderExcluir
  9. Ola, vim conhecer teu espaço e adorei!!! Adoro escrever a mão, apesar de ser colada ao meu notebook não dispenso uma carta linda e bem redigida. Um grande beijo pra ti

    ResponderExcluir
  10. Isabella, Ameixa, Lucia, Gina, Cláudia, Pati e Carol,
    Acho que todas nós reconhecemos a maravilha da comunicação pela net, mas também sabemos que as cartas manuscritas têm uma magia inigualável, não?

    Figbatera,
    Obrigada pela dica do Café dos Angelitos.

    Michele,
    Você viu o desembaraço da Isadora na net?

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Adorei seu post, Heloísa. Eu ainda guardo cartas que trocava com as minhas amiguinhas na adolescência quando estávamos de férias. Hoje já ninguem envia uma carta e dá uma certa saudade da magia de receber uma carta! Os tempos mudam e nós vamos nos adaptando. Claro que as novas tecnologias são fantásticas, mas mudou tudo tão depressa não foi?
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Heloisa ,falei sobre as modernidades em meu blog ,as moças que trabalham comigo aqui não acreditaram que eu era do "tempo " da telefonista ..rs
    Quanto as cartas ,minha vizinha acha uma graça danada qdo vai a caixa de correio e vê uma carta da minha irmã ,apesar de toda tecnologia as vezes nós mandamos uma cartinha uma pra outra e é tão gostoso..

    ResponderExcluir
  13. Isabel,
    As cartas eram mesmo muito mágicas. Tinham muito de romantismo, não?

    Andréa,
    Gostei da sua visita. Que bom ainda escrever e receber cartas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Obrigada pela visita, pelas palavras tão carinhosas. O seu blog também é maravilhoso, escreves muito, tens carisma e muitos fãs pelo que vi. Um grande abraço e vamos trocando figurinhas:)) Lisa

    ResponderExcluir
  15. Heloisa, obrigada pela visita ao meu blog, apareça sempre. Adorei o seu. Eu e minhas irmãs ainda escrevemos cartas uma para as outras e escrevo muito para mamãe. Acho uma delicia receber cartas e acho até mesmo mágico. Qdo morei nos EUA e não existia ainda internet receber uma cartinha de minha família era tudo de bom. A do meu pai eu ficava um dia inteiro decifrando sua letra, mas era simplesmente maravilhoso saber notícias deles. Hoje, com a internet temos outras maneiras de nos comunicar, mas continuo com minhas cartinhas.

    ResponderExcluir
  16. hahahahaha...eu sou dessa epoca quando telefone era a unica forma parecida com internet que hj existe. Usei muito o telegrama...inclusive a minha fase mais linda da minha vida aconteceu nessa epoca.
    Voce sabe que me deu vontade de blogar sobre?
    bjs,
    me

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.