quinta-feira, 11 de março de 2010

Berço precioso


Ele chegou na minha casa há pouco mais de 41 anos, junto com a minha transformação em mãe.

Foi muito usado por meu filho, e um pouco por minha filha.

                                            (Gustavo aos 3 meses)

Quando ela nasceu, seu irmãozinho ainda dormia em berço, e ela usou outro, também de grande valor afetivo pois era um berço da família. Mas, quando ele foi desocupado, ela também o aproveitou.

Crianças crescidas, berço guardado.

De repente, por esse milagre da vida, chegou a esperada netinha. Nasceu em São Paulo, e logo foi para seu lindo bercinho, todo branco, e com todo o visual que não existia quando sua mamãe e seu titio eram nenês.


Antes da sua chegada, a vovó já havia se lembrado do antigo bercinho, e o vovô tinha se encarregado de levá-lo ao marceneiro para um trato. Ficou como novo, e foi montado em Santos para aguardar a visita da netinha.


Completando um mês, a Isadora fez sua primeira viagem para Santos, e logo foi colocada no antigo bercinho. Ela, que até então ainda não conseguia ter bons sonos noturnos, dormiu como um anjinho. Lembro que no dia seguinte fiz exatamente esse comentário com minha filha, dizendo que aquela tinha sido sua melhor noite de sono.

E o bercinho ficou montado na casa da vovó, sempre esperando pela visita da netinha. Nas suas muitas visitas, ela o aproveitou bastante.


Mas, rapidamente a netinha cresceu (já está com 3 anos e 7 meses), e deixou de usá-lo. E ele continuou montado no quarto, mesmo sem utilização.

Ontem, contudo, foi desmontado.


Senti um pequeno aperto no coração: já não temos mais nenês em casa. 

Agora, o bercinho vai receber um reparo, e continuar guardado. Afinal, ele  tem um valor enorme, e merece ser preservado.

Quem sabe não servirá para adormecer outros netinhos, ou até um bisnetinho? Ou para permitir que novos nenês nele treinem e aprendam a ficar em pé?

Daí, é só acrescentar a foto a essa galeria: 

Gustavo, com 5 meses;

Priscila, com 6 meses e 

Isadora, com 7 meses.


21 comentários:

  1. Ai, que lindo! Que vontade de chorar!
    As fotos estão incríveis...
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Post lindo e com cheirinho de saudade no ar, quando desmontei o berço da Nathalia também senti esse mesmo aperto no coração, nossos bebês já são mocinhas né.
    Amei as fotos! Na primeira foto do Gustavo achei parecido com a Isadora.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Lindo isso! Sei bem o que sentiste. Mas poderá servir pra outro serzinho especial.Quem sabe? beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. Incrível, amiga!
    Como o tempo passa realmente e quando damos conta, ficamos assim, meio com aperto no peito.
    Mas, o grande barato da vida é isso, a renovação. Aliás, a páscoa tá chegando e quer dizer isso, renovar.
    Quem sabe, haverá num futuro não tão longe, um novo bebêzinho por aí!
    A vida nos surpreende e dá muitas voltas.
    Linda história!
    Lindas fotos!

    beijinhos cariocas

    ResponderExcluir
  5. que postagem linda Helô..me emocionou mesmo!!!ah..quanto ao post do pão..não dá para fazer na maquina..mas..é tão rapido o modo de fazer..e..ele não pode ser sovado..ok..mas..amiga..é tudo de bom..bjus

    ResponderExcluir
  6. A mamae guardou o meu também que foi usado por nós seis e pelos 5 netos.
    Agora ele esta´emprestado em Santo Antonio do Amparo.
    Vou perguntar para minha cunhada com qual sobrinho está.
    Com carinho MOnica
    O meu pois sou a mais velha é lindo também
    Com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  7. Lindo. A vida encontra o seu maior significado nestes pequenos pormenores :)
    Continuas uma mulher super bonita!

    ResponderExcluir
  8. Helô, vc é, sem dúvida nenhuma, a vovó mais coruja que eu conheço. Queria que minhas filhotas tivessem uma vovó assim.

    Certamente o valor sentimental dos objetos é precioso. Só isso justificaria guardar por tantos anos um objeto desse tamanho. Ainda mais em tempos como os atuais, onde espaço é dinheiro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Heloísa, quando li o comentário da sua filha, identifiquei-me totalmente; era mesmo o que eu estava a pensar: que lindo, e quase me deu tb vontade de chorar. Que texto lindo e emocionante. Espero que esse berço ainda volte a ser utilizado. :)
    (Acredita que a Carolina agora vive obcecada por ter um irmão? Tarde demais... aliás, ela tem irmãos, mas bem mais velhos do que ela, ela queria mais era tipo uma irmã gémea... :)))

    Muito engraçado a Isadora ter dormido melhor nesse berço, acho que quanto mais "adereços" e protecções colocamos, mais complicamos... vai ver nesse o ar até circulava melhor, e isso permitiu-lhe um sono mais relaxado...

    ***
    Agora outro assunto totalmente diferente: não conheço a coalhada grega, mas vou investigar. É o que vc disse: agora as minhas criações são quase todas gastronómicas...

    beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Impressionante a semelhana da Isadora com o Gustavo.
    Com certeza o bercinho será usado novamente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Heloisa, que bela história, lembrança recheada de ternura.
    Histórias assim emocionam.
    Fica um poema, que deixa claro que, o que é precioso e belo, fica para sempre.

    Amar o perdido
    deixa confundido
    este coração.

    Nada pode o olvido
    contra o sem sentido
    apelo do Não.

    As coisas tangíveis
    tornam-se insensíveis
    à palma da mão

    Mas as coisas findas
    muito mais que lindas,
    essas ficarão.

    * Carlos Drumnond de Andrade *

    ResponderExcluir
  12. Que post lindo! Dá pra perceber o carinho com que o bercinho foi guardado, remontado e enfeitado pela rosinha Isadora. Lindas fotos!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Que lindo post !
    Sabe eu como vc. tb. sou muiiito sentimental, o berço que era da Helô e foi dado à ela pelos meus sogros que mandaram fazer especialmente para a netinha...o berço eu guardei por longos 8 anos até que Mirella veio ocupa-lo; e hoje quando li este seu post tomei uma importante decisão, quando tb. chegar a hora dele ser desmontado, será muito bem guardado pq. um dia quero que ele embale o sono dos meus netinhos, quero poder tirar fotos como essas suas.
    Um gde. beijo.

    ResponderExcluir
  14. Helô,
    acabei de mostrar este post para o João Gabriel e ficamos lembrando do seu bercinho...que me fez lembrar do meu...que está lá na fazenda, bem guardadinho!
    Adorei te ver estilo anos 60: arrasou no penteado!!! (rs)

    ResponderExcluir
  15. Que história linda... Quando minha irmã nasceu (há 32 anos) ela tinha um bercinho como esse. Hoje ela está no sítio e recebe os netinhos, também... Sei bem o que você quer dizer quando diz do valor dele!
    Bj
    Dani

    p.s. parabéns pelas fotos.

    ResponderExcluir
  16. Seu Post me lembrou do NOSSO berço ,ou melhor foi da irmã mai velha ,a MÔnica ,mas todos usaram .Acabei de perguntar pra minha mãe como fez qdo teve minha irmã e eu .Ela disse que alguem emprestou um berço ..
    o nosso berço é tão emprestado que não sabemos com quem esta . Foi bom esse seu post ,pois quero saber do seu paradeiro .
    Adorei as fotos

    ResponderExcluir
  17. Adoro esse lado familiar do seu blog, me faz muito bem.

    Adorei ver filhos e netos nas fotos.



    Grande beijo para você.

    ResponderExcluir
  18. Amiga...quanta inspiração e coração para aguentar tantas lembranças lindas! :)
    Amo histórias de vida e de família...e objetos então...nem se fale...:]
    Que gostoso ver gerações sendo alcançadas por essas lembranças...
    Helô, brigadinha por compartilhar esses momentos, viu?!
    Um bejim,
    da Vinni

    ResponderExcluir
  19. Post bonito demais!
    Inspirador!

    Tenho uma história parecida...
    Vou contar, no Roccana!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  20. Que graça, Heloisa! Que filhos e netas de sorte de term uma mãe/avó tão carinhosa! Adorei a colagem de fotos!

    Bjs

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.