terça-feira, 16 de março de 2010

Dia do "sim"


16 de março de 1932.

Ela com 18 anos, ele com 27.

Os dois eram fiéis e assíduos frequentadores da Igreja do Sagrado Coração de Jesus. Ela, “filha de Maria”, e ele, “congregado mariano”. Mas a cerimônia religiosa do seu casamento não foi realizada na Igreja, e sim numa casa ampla e bonita, de frente para o mar, onde moravam os padrinhos da noiva. 

Não sei se naquela época era comum a realização de casamentos nas casas das famílias dos noivos. O que sei, por ouvir contar, é que, no caso, a casa dos padrinhos foi escolhida, porque uma ex-namorada do noivo havia ameaçado atrapalhar a cerimônia na Igreja. 

Aliás, parece que essa mesma moça, ao saber do noivado do seu ex-namorado, jogara-se na frente do carro dele. A sorte é que naquela época, no longínquo ano de 1931, o trânsito era muito tranquilo, e os poucos carros existentes em Santos andavam em baixa velocidade. Foi só um susto.

A cerimônia do casamento foi linda, e selou o futuro dos dois jovens : a paternidade e a maternidade.

Em 28 de fevereiro de 1933 nasceu o primeiro filho.

Em seguida o segundo, o terceiro e assim, sucessivamente, até o nono.

Seguiram à risca o “crescei e multiplicai-vos”, com dedicação integral.

Quando poderiam aqueles jovens, no dia do “sim”, imaginar que, passados 78 anos, eles teriam sido o ponto de partida, a origem da vida de 68 pessoas? 

9 filhos, 26 netos e 33 bisnetos. Mas esse é um número que não fecha. Logo, logo, nascerão mais dois bisnetos, e provavelmente outros mais. Daqui a pouco os trinetos, tataranetos...

Como filha, faço parte dessa descendência de Norma e Joaquim (que também era chamado de Miúdo, ou Cunha), e que disseram o "sim" tão importante no dia 16 de março de 1932. 



34 comentários:

  1. Que fotos lindas, que história emocionante... E sem "final feliz", porque não se acaba... Na verdade, é um "sempre feliz", não é?

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Lindo e que família grande ,heim?Lindas fotos!beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Eu adooooooro quando vc conta sobre sua familia, acho tão interessante, principalmente quando tem fotos.
    Minha avó sempre nos conta suas história, são todas simples, mas acho fascinante, principalmente o fato dela ter visto meu avô no dia em que se conheceram e se apaixonaram e 02 meses depois no casamento deles, tiveram 10 filhos (2 morreram no parto, eram gêmeos), meu avô morreu há 24 anos e minha vó ainda chora ao falar dele, nunca mais se casou.
    São história tão bonitas de muito amor, fidelidade e respeito, bem diferente das de hoje em dia né.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Amiga!
    Que amor contar a história de sua família e compartilhar lindas fotos...
    Pessoalmente tenho paixão por fotos antigas...:}
    Um bejim, tá?!
    da Vinni

    ResponderExcluir
  5. Que história linda, Helô ! Sempre me emociono quando leio essas histórias de amor que você conta aqui. Adoro ! :)

    muitos beijos !

    ResponderExcluir
  6. Mamae nasceu em 1931.
    Seria como se voce tivesse contando a história dos meus avós ou bisavós.
    Me deu uma ideia genial.
    Vou procurar nos guardados para ver se acho.
    E mamae sabe tudo sobre eles.
    Com carinho Monica

    ResponderExcluir
  7. Oi, Helô!
    Como gosto de ouvir/ler estas histórias!
    Sua mãe era uma mulher elegante e muito bonita e desta união resultou tantos filhos e descendentes.
    Grandes almas e que, de verdade, construiram com amor as famílias desse nosso país!
    Parabéns por ter pais tão bacanas!
    um beijo carioca

    ResponderExcluir
  8. Helô, querida,

    Estória linda, pessoas lindas e fotos lindas, sobretudo a segunda!
    Agora o apelido 'Miúdo' parece meio impróprio para um homem alto, né? rsrs. Pelo menos na 2ª foto, o noivo parece ser mais alto do que a média.

    Beijinho e boa tarde.

    ResponderExcluir
  9. Passeando parei aqui. Li e adorei!
    Esta história é muito linda.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Mes de março e principalmente "em meados"de março deveria ser o tempo exato pra se casar. hehehehehehe
    Eu casei um dia anterior ao da sua mae com seu pai e como sabes ja vou nos 30 anos de parceria.
    Parabens pro seus pais.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Que gostoso ler estas estórias que na verdade são experiências de fato, vividas por pessoas queridas.
    Quando criança adorava ouvir minha avó contar sobre meus bisavós.

    Bjs, Elaine

    ResponderExcluir
  12. Heloisa
    Foi um prazer a sua visita no Caminho Suave. Obrigado.
    A foto inicial parece de revista, muito linda. A história...ahhh!!!!se confunde com a minha. Sou a única filha, com sete irmãos(homens) de um casal assim, que deixou 20 netos, 10 bisnetos + 2 a caminho. Adorei o post.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Que linda história...que lindas fotos!
    Você se parece muito com sua mãe!

    ResponderExcluir
  14. Suas histórias são tão lindas que poderiam se transformar em livro. Você já pensou nisso?
    São tão emocionantes, com tanto amor e carinho, tão surpreendentes e ainda por cima você as descreve tão bem que seria um sucesso.
    Tenho pensado muito no que você relata e fico me questionando muito, questiono a vida, os novos valores ....
    Você conta a paciência infinita da sua mãe com nove filhos, ao passo que eu e outras mulheres da minha geração mal damos conta de um ou dois.
    Pelos "causos" que você conta, acho que seria um livro divertido, emocionante e que serviria de exemplo para muitas famílias.
    Bjs.
    Maria Helena

    ResponderExcluir
  15. Heloísa, dá para ver que você tem muito orgulho da história da sua grande família. Ainda bem que você partilha essa história aqui no seu blog. Adorei ler e adorei as fotos também, são lindas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Lindas fotos. Eternas lembranças. Que bom quando ainda os temos, mesmo já velhinhos. No nosso caso, apenas as mães. Por isso é tão bom se ter fotos. São as guardiãs da memória.
    Saudade de ler você, sempre suave, doce, discreta, falando tudo sem contar nada...
    Bj

    ResponderExcluir
  17. Helô, parabéns pela linda história e pela família tão bonita! Adoro esse seu jeito poeta de contar a vida!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Heloísa,

    que postagem linda, e que fotografias fantásticas. Adorei a história.

    Estou tentando voltar aos blogs, aos poucos eu acho algum entusiasmo para circular pela internet e sair da tristeza. Não está fácil não, amiga, a coisa ficou ainda mais difícil daqui...

    Bj,

    Claudia

    ResponderExcluir
  19. que linda viagem no tempo...vou indicar este blog a minha irmã! ela vai amar!
    beijos

    ResponderExcluir
  20. LINDOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

    Eu amo a sua família, sinceramente!

    bjs

    ResponderExcluir
  21. Seguro que aquel 16 de Marzo de 1932, tus padres no imaginarían semejante descendencia. Unas fotos preciosas y un escrito bellísimo.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  22. Que relato mais lindo, emocionante...
    Enche nosso coração de boas energias!
    Beijinho,
    Dani

    ResponderExcluir
  23. Querida Heloisa, como vai você? Tudo bem?

    Obrigada por ler e comentar o meu blog enquanto eu estava viajando.

    Este post seu é uma linda história de amor. Mas a moça se jogando na frente do carro me lembrou Nelson Rodrigues! Ainda bem que com final feliz.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Que coisa mais bonitaaaa!

    Os noivos pareciam artistas de cinema!!

    ResponderExcluir
  25. Boa noite, Heloísa, me senti lisongeada com sua visita e comentário. Seu blog é muito lindo. E, amiga, que história de vida tão linda e cheia de amor. Parece até conto de fadas. Estarei lhe seguindo, tá?
    Felicidades mil para você e família.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Carissima Heloisa, mostramos à mamãe as fotos! Mamae amava morar ao lado da casa da Norma,a mulher de seu primo Miudo... comove-me pensar em duas lindas mulheres que viveram uma vida tão cheia de trabalho e alegria.E a Maria José confessa ter aprendido muuuiiittoooo com a Norma. E, como eram todos lindos, àqueles tempos!!! beijocas, e deixe-me proteger meu coração deste seu blog!

    ResponderExcluir
  27. Heloisa
    Viajei no tempo junto com voce...
    A Norma hoje seria considerada uma top model (magra, alta e cheia de glamour), ja o Joaquim de Miudo não tinha nada.
    Linda familia (ampliei a foto e fiquei encantada com ela).
    Sabe Helô, tenho dúvidas se as nossas fotos virtuais não se perderão com o tempo e toda essa tecnologia.
    Se vc. pensar não há nada que garanta. Já esse tipo de foto resistiu quase 80 anos. Tenho algumas aqui comigo com mais de 100 anos. Aliás existem milhões delas espalhadas pelo planeta.

    Parabéns pela linda familia e por guardar lembrança tão preciosa.
    bj lindo final de semana

    ResponderExcluir
  28. Que estranho Heloisa, eu fiz um comentário aqui e não aparece...será que o blogger anda dando mancada novamente?

    beijinho

    ResponderExcluir
  29. Helô, voltei e estou tentando visitar as amigas.
    Que linda história! Sabe que meus pais também tinham 9 anos de diferença? E só não se casaram exatamente com essas idades porque meu pai esteve doente, adiando o casamento para 20 e 29 anos.
    Que bom poder resgatar e contar no blog! É uma oportunidade diferente de manifestar nosso carinho pela família.
    Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  30. OI Helô, tudo bem?
    Linda a narração, e que familia grande.
    Bjuss

    ResponderExcluir
  31. Que lindo Helô!

    Nossa sociedade precisa de mais exemplos como este!

    "Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne.Assim já não são mais dois, mas um só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem."
    ( Mateus 19:5-6)

    ResponderExcluir
  32. Que lindo casamento, Heloisa! E que história de amor! Com ex namorada ciumenta e tudo!

    Muito bonita sua família, parabéns!

    Huuummm, ovos nevados, qu delicia! Entrei para os Vigilantes do Peso e estou me controlando...

    Muitos bjs!

    ResponderExcluir
  33. ADOREI!

    Adoro essas histórias....

    nossa, adoro.....

    linda!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.