segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Volta ao passado?


Sou de uma época em que não existia o plástico, e nem, logicamente, as sacolinhas plásticas. As embalagens todas eram de papel.

Também sou de uma época em que as mães criavam seus filhos usando fraldas de pano. E que trabalho elas davam. Quando saíamos de casa com nossos nenês para alguma visita, ou pequeno passeio, voltávamos trazendo todas as fraldas usadas. A lavagem das fraldas, exigia bastante cuidado. Não podia ficar qualquer resíduo de sabão, para evitar assaduras. E quando os nenês eram novinhos, as fraldas, depois da lavagem, deveriam ser fervidas. Para isso tínhamos baldes grandes de alumínio, que eram levados ao fogão com água e as fraldas já lavadas.

O progresso foi avançando, chegaram as sacolas plásticas, adotadas de imediato pelo comércio. Chegaram também as fraldas descartáveis, que embora caras, e representando um peso nos orçamentos familiares, passaram a ser usadas pela grande maioria das crianças.

Realmente, a facilidade trazida por esses produtos é inegável.

Só que, aquilo que havia surgido para facilitar a vida, passou a representar um risco à própria vida. Não à nossa, mas a das futuras gerações, pelo alto poder de degradação do meio ambiente trazido pelos “inocentes” sacos plásticos e fraldas descartáveis.

E agora, que a conscientização cresce a cada dia, será possível uma volta ao passado?

Parece que isso será necessário, embora muito difícil por implicar em mudança de hábitos arraigados. Como é difícil mudar um hábito, que no caso já é até mais do que isso: é uma cultura.

Portanto, eliminar totalmente o uso das sacolas e sacos plásticos será complicado. Há situações em que eles parecem insubstituíveis, mas o número de utilizações pode e deve ser substancialmente diminuído. Há supermercados que já estão utilizando formas de convencimento dos seus usuários, para que utilizem sacolas de tecido, ou que estão fornecendo sacolas de papel pardo. E já se pensa em projetos de lei para disciplinar essa questão. Em último caso, quando usados, os plásticos deverão, obrigatoriamente, ser encaminhados para reciclagem.

Já em relação à fralda descartável, a mudança pode ser muito mais radical. Nem que seja feita aos poucos, com alternância entre um e outro modelo. O ideal seria a descartável ficar somente para aquelas raras situações em que não há a menor possibilidade de lavagem das fraldas. No mais, fraldas de tecido, das tradicionais (que secam mais rapidamente) ou das moderninhas (retangulares e encaixadas em calçõezinhos impermeáveis). E que podem ser lavadas nas úteis lavadoras de roupas.

Mas, o interessante é saber que já há muitas mães que, corajosamente, estão passando a colocar em seus nenês as esquecidas fraldas de pano. Corajosamente porque estão abrindo mão de uma comodidade em nome de uma preocupação com o meio ambiente, e com o coletivo. Com certeza, sabem que uma fralda descartável leva 500 anos para se decompor, e que uma criança até dois anos usa quase 6 mil fraldas descartáveis. Já imaginaram?

Foto das fraldas modernas, aqui.

 

17 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. É Helô, as coisas mudaram muito mas acho que pra pior...tenho saudade daquele tempo!!!Bjs

    ResponderExcluir
  3. Gina,
    Voltar ao passado é difícil. Dá para aproveitar a experiência e criar alternativas.

    Lourdes,
    Não escrevi por saudosismo, mas acho interessante como coisas que eram utilizadas no passado, passaram a ser valorizadas atualmente.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda peguei a época dos pacotes de papelão do supermercado, e sinceramente? sinto falta, eu aprendi a usar as sacolas de tecido justamente para evitar o uso das de plástico e pensar no dia de amanhã. Pena q muitos não pensam assim.

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Heloisa
    Quando meu primeiro filho nasceu já havia fraldas descartáveis, mas eram muito caras, só usava para passear, levar o bebe ao médico etc. no mais eram as de panos mesmo com aquelas capinhas que mostrou na foto.
    Imagine se as mães de hoje abririam mão dessa mão na roda que são as fraldas descartáveis...Sei não.
    A sacola de feira...minha mãe tinha uma dessa que era verde exército...engraçado como a gente não esquece.
    Adorei seu post.
    Linda Semana!

    ResponderExcluir
  6. Querida Helô,
    Tento aderir com fervor ao movimento Eco, principalmente nas compras, pois tenho 4 eco-bags e as carrego sempre toda semana para o Horti Fruti e tem dado resultados, mas mesmo assim a quantidade de sacolinhas plásticas ainda é grande aqui em casa, pois todo lugar que vamos hoje em dia ganhamos uma para botar as compras.

    E as fraldas descartáveis, fiz uso delas em 1985 quando tive meu filho, lavei muita fralda e escaldei também. Usava aquelas da marca Cremmer, lembra!?
    Mas, dois anos depois o mercado já tinha as novidades em plástico e, claro, aderi ao conforto e praticidade delas.
    Ainda não havia pensado sobre este aspecto, de como elas são poluidoras do meio ambiente também, já que são feitas de plástico e eles demoram a sumir da natureza.
    Será que as mães modernas irão aderir a esta idéia ECO, sei não!?

    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  7. Dani,
    É isso aí. Os supermercados bem que poderiam substituir as sacolas, como faz o Santa Luzia aí em São Paulo.

    Beth,
    Foi como eu escrevi no final do post. Eu me surpreendi vendo que existem muitas mães modernas aderindo às fraldas de pano.

    Santinha,
    Essa é uma ideia: alternar o uso da descartável com a lavável. Já vai diminuir o impacto, não?

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Helô aqui na minha cidade já tem esse projeto de lei, só estamos esperando ser aprovado, vai ser dificil a população aderir mais é para o bem dos nossos filhos, netos, em supermercados já tem as sacolas de pano, acho que o abito só vem quando realmente for proibido. Espero que venha logo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Apesar de concordar plenamente com a preocupação com a natureza, tenho que confessar que usar fraldas de pano não deve ser fácil, principalmente nos dias de hoje em que nós mamães trabalhamos fora e já temos um tempo tão curto para todas as obrigações como mães, donas de casa e esposa. Com as sacolas acho que será mais fácil a adaptação, mas com as fraldas vamo combiná né!!! rs, podiam fazer fraldas descartáveis que se degradasse mais rápido, assim não precisariamos abrir mão dessa comodidade.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Desculpe, excluí o comentário anterior por conter erros...
    Pois é, as fraldas descartáveis já estão há décadas no mercado, é um hábito tão difundido, que fica difícil convencer a uma volta ao passado.
    Precisamos de alternativa para as fraldas, assim como já vemos um movimento ainda incipiente para o uso das sacolas.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  11. Usei as fraldas de pano com o meu primeiro filho, ainda morando no Brasil.
    Quando tive a segunda filha, já nos States usava as depano e achei maravilhoso. Sei nao se usaria as de pano se tivesse que cuidar dos netinhos. Muito trabalho, que me desculpem as opinioes ao contrario.

    ResponderExcluir
  12. Simone,
    A questão das sacolas plásticas parece ser mais fácil de resolver, não?

    Danny,
    Realmente é muito difícil para as mães de hoje, principalmente para aquelas que têm dupla jornada de trabalho, deixar o uso das fraldas descartáveis. Talvez dê para diminuir.

    Elena,
    Acho que todo mundo concorda com você: muito trabalho mesmo. Principalmente quando não se tem ajuda para cuidar dos nenês.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Helô, a tendência para o futuro é que as pessoas sejam mais conscientes. As nossas crianças são conscientizadas nos colégios, sobre a necessidade de prezervar o meio ambiente, e, elas crescerão e se tornarão pessoas mais preocupadas com estas questões. Te confessi que eu nem sabia que existiam essas fraldas modernas de tecido. Usar sacola de papel ou caixa de papelão para levar as comprar do mercado, aqui em Niterói/RJ, já está até sendo feito em alguns estabelecimentos, mas fralda de tecido, não conheço ninguém que use.
    Estive pensando no trabalho que dava usar as fraldas de tecido e tenho que dar parabéns à sua mãe! Muito guerreira! 9 filhos criados com tanto trabalho, amor e carinho!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  14. Eu ainda sou do tempo das fraldas de pano. É um facto que a qualidade de vida afecta a qualidade de vida se não soubermos alternar os recursos :)

    ResponderExcluir
  15. Oi Heloisa, meu Filhote só tem 5 anos mas sabe que quando ele nasceu não tinha essa opção da fralda green? E lavável e não descartável. Eu teria adotado com certeza!

    Os supermercados aqui já estão cobrando 5 centavos pelas sacola plástica descartável e muita gente usa sacolas de compras, que trazem de casa.

    Do jeito que produzimos lixo, temos mesmo q pensar no futuro.

    bjs

    ResponderExcluir
  16. Se cada um desse uma pequena contribuição, o futuro das nossas crianças modificaria.
    Com carinho Monica

    ResponderExcluir
  17. Olá Helô.
    A-D-O-R-E-I o seu blog!
    Sobre este post então!! Demais.
    Quando meus filhos nasceram, como toda mãe moderna, claro, eu usei fraldas descartáveis; comodidade, facilidade e tal, mas assim que fizeram um aninho, nos dois eu passei a usar fralda de pano mesmo.
    Quanto às sacolas, eu tenho mania, então eu tenho várias de todos os modelos e tamanhos e agora não vou ao mercado sem levar as minhas de casa para não trazer mais sacolinhas poluidoras pra casa...
    Um bj,
    assim que o meu blog estiver pronto eu mando o link!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.