quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Mergulhos no passado




Acima, prédio da Bolsa do Café (ao fundo) e sua entrada. Abaixo, prédio do Teatro Guarany.

Em Santos há alguns prédios de grande valor histórico e cultural, entre os quais o da Bolsa Oficial do Café, onde está instalado o Museu do Café, e o prédio restaurado do Teatro Guarany.

Um passeio por esses dois locais já é de “encher os olhos”, mas ontem tive a oportunidade não só de admirá-los como de participar de eventos neles realizados.

Na Bolsa do Café houve o lançamento do livro “1822” do jornalista Laurentino Gomes, em promoção da Livraria Realejo. Os autógrafos foram dados na belíssima “sala dos pregões”, com acompanhamento musical de flauta e violão. Muitas e muitas pessoas. Foi um sucesso.

O prédio da Bolsa do Café é esplendoroso, construído na época em que Santos era a maior praça cafeeira do mundo. Na sua construção foram utilizados materiais nobres vindos de vários países europeus. Seu interior é muito luxuoso, com piso de mármore italiana, cristais belgas e bronzes franceses.

A antiga sala dos pregões tem no teto um vitral lindíssimo, desenhado por Benedito Calixto, responsável, também, pela pintura dos enormes e maravilhosos painéis que enfeitam a sala.

Com o encerramento dos pregões no final dos anos 70, o prédio entrou em decadência até ser tombado pelo Condephaat, o que garantiu sua preservação.

Restaurado após alguns anos, foi reinaugurado em setembro de 1998. Abriga o Museu do Café, uma charmosa cafeteria e espaço para exposições.

A Bolsa do Café, inaugurada oficialmente em 7 de setembro de 1922 como parte dos festejos do centenário da Independência, foi, por sua beleza e significado, uma escolha muito feliz para o lançamento do “1822” de Laurentino Gomes. E exatamente no dia 7 de setembro de 2010.



Após o evento na Bolsa do Café, fomos para o Teatro Guarany, onde seria encenada a peça “In on it”, como parte da programação do “Festival ibero-americano de artes cênicas de Santos”.

A peça tem a direção de Enrique Diaz e a interpretação fantástica de Emílio de Mello e Fernando Eiras, que se revezam em dez personagens. No fundo, gira em torno de relacionamentos, separação e morte. Foi um ótimo espetáculo, com um significado diferente trazido pelo local onde apresentado.

O Teatro Guarany, primeiro grande teatro da Cidade de Santos, foi inaugurado em dezembro de 1882. Até a inauguração do Teatro Coliseu em 1909, era em seu palco que ocorriam os grandes espetáculos culturais e políticos. Abandonado como teatro em 1924, entrou em grande decadência até ser destruído por incêndio em 1981. Sobraram somente as espessas paredes de pedra. Depois de anos de abandono, e de muitas polêmicas, teve sua fachada restaurada e seu interior totalmente reconstruído. Foi reinaugurado em dezembro de 2008.

Acho que assistir a um espetáculo nessa sala, é quase como se estivéssemos com um pé no passado. Tem algo de muito solene.


Acima, palco com as duas cadeiras usadas pelos autores, e pinturas do teto.

Abaixo foto de Stefan Lambauer.


14 comentários:

  1. Puxa, quanta coisa linda,heim,Heloisa!

    Há muitos lugares pra se visitar,não é mesmo?

    Lindas fotos!beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Que delícia de passeio cultural!
    Fico imaginando qtas. estórias, conquistas e derrocadas aconteceram nesse prédio da bolsa.

    ResponderExcluir
  3. Oi Heloísa,
    Acho muito bacana esse resgate cultural. Quantas coisas se passaram por lugares como este. Quantos momentos importantes estiveram presentes aí.
    Amei seu post.
    Tudo de bom.
    Bjs mil

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que pena que eu não estava em Stos ontem! Comecei a ler 1808 por causa da Carolina, que agora está estudando esse assunto e fiquei sabendo pela imprensa que seria lançado o 1822, mas jamais imaginei que o autor iria em Stos para uma noite de autógrafo! Quem sabe na próxima obra?
    Bjs
    Maria Helena

    ResponderExcluir
  5. Uau! Deve ter sido um ótimo evento este e que beleza este Teatro Guarany, não o conhecia!
    Realmente, temos eventos ótimos acontecendo à volta e precisamos vez ou outra aproveitá-los.
    Há duas semanas estive no CCBB no cenro do Rio para duas exposições lindas, uma inclusive de Anita Malfatti e só quando estava lá é que me dei conta de como é bom fazer estes pequenos passeios nos finais de semana.
    beijos cariocas

    ResponderExcluir
  6. Amei o texto, da primeira à última palavra! E isso, porque, além de bem escrito, comunica boas (e agradáveis, diga-se de passagem) informações!
    Através dele eu tomei conhecimento dessas duas edificações maravilhosas, e obtive uma opinião isenta, sobre a peça teatral 'In on it', da qual já havia lido algumas coisinhas.
    Também teria adorado ir ao lançamento do livro do Laurentino Gomes e, é claro, assegurado o meu exemplar, rsrs.

    Um beijo e boa noite.

    P.S: A minha confusão a respeito do comentário, no post anterior, se deveu ao fato de eu ter dormido muito pouco, na noite anterior. E isso, porque a minha a minha filha mais velha havia varado a noite fazendo trabalhos acadêmicos, com uma colega (ela se formará em arquitetura, no próximo ano, se Deus quiser). Ela se esforça para não perturbar o sono de ninguém. Mas eu acabo - só Deus sabe por que - me irmanando ao empenho dela e, mesmo deitada, não consigo relaxar suficientemente, rsrs.

    ResponderExcluir
  7. Duas maravilhas, Helô.

    Tanto o prédio da Bolsa do Café, hoje Museu do Café, como o Teatro Guarany.
    Ainda bem que houve restauração em um e a reconstrução do outro. Perde-se muito da história deixando estes prédios no esquecimento.
    Aqui no Paraná, em cidades históricas, vê-se muitos prédios que guardam a história caindo aos pedaços. Fico triste quando vou a Paranaguá e vejo o centro histórico acabando-se por puro desinteresse.
    Belo passeio Cultural vc fez. Lindas as fotos.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  8. Também queria ter ido a esses passeios! Pelo Laurentino, com quem trabalhei na Veja e gostava muito, pelo Zé Luis, da Realejo, que uniu as pontas na promoção, e pela peça In on It, que pelo o que vc contou estava com preço beeem melhor do que em SP! E para fazermos outro programinha bom juntas!
    beijos,
    Pri

    ResponderExcluir
  9. Helo
    Que aula de história! E que lugar encantador!
    Obrigada por compartilhar
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Que lugares lindos e com quanta historia, Heloisa! Espero ter chance de ver alguma coisa no dia que for a Santose, dezembro.

    Vc leu 1822, parece muito interessante!

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. OI Helô, tudo bem?
    Sumi por causa de uma gripe que só por DEus, agora estou um pouco melhor, mas as energias já estao voltando.
    Viajei com você através do post, a sensação é como se eu estivesse dentro dos prédios e vendo pessoalmente. bjuss

    ResponderExcluir
  12. Heloísa que programa maravilhoso. Sãoprédios que contam a história de um povo. Bjs

    ResponderExcluir
  13. Heloísa que programa maravilhoso. Sãoprédios que contam a história de um povo. Bjs

    ResponderExcluir
  14. Viu só como é bom apreciarmos o que nosso pais tem de lindo?
    A gente mergulha no passado, fica mais leve, fica mais otimista, não acha?
    Beijo!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Depois é só escolher uma identidade. Se você não tiver conta google, clique em nome/URL, logo abaixo. Coloque seu nome e, depois, clique em Publicar. Vou adorar ler o que tem a me dizer.